Fraude na Previdência pode chegar a R$ 3,9 milhões no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de setembro de 2001 as 00:14, por: cdb

O auditor-geral da Previdência Social, Carlos Antunes Nascimento, que investiga as atividades de uma quadrilha especializada em fraudar o INSS na região sul fluminense, disse nesta quarta-feira que o prejuízo dado à autarquia pelo bando pode chegar aos R$ 3,9 milhões.

De acordo com o jornal Diario do Vale, a quadrilha agia transformando contribuintes em atividade, principalmente metalúrgicos da Siderúrgica Barra Mansa (SBM), em “mortos virtuais”. Os benefícios devidos aos falsos mortos eram pagos a suas supostas viúvas.

Segundo Antunes, 43 benefícios falsos já foram cancelados e que o número de fraudes descobertas já chega a 100.

Os primeiros casos de fraude na região foram descobertos em 1996 e logo passaram a ser investigados por uma Força Tarefa composta por representantes do INSS, Polícia Federal e do Ministério Público.