Forças invasoras nos portões de Bagdá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 25 de março de 2003 as 09:50, por: cdb

Helicópteros e aviões dos EUA bombardearam nesta terça-feira posições da Guarda Republicana, que forma um anel de defesa em torno de Bagdad. Um porta-voz militar britânico disse que o bombardeio, que começou na noite anterior, continuaram durante a manhã.

Explosões distantes foram ouvidas em Bagdad, mas não ficou esclarecido, de imediato, se faziam parte dos ataques aéreos contra a Divisão Medina da Guarda Republicana, que enfrenta colunas norte-americanas que chegaram à área de Kerbala, a 95 quilômetros da capital. Várias explosões também estremeceram a periferia de Bagdad.

Uma testemunha disse que as explosões vinham das regiões sul e leste da cidade. Foram ouvidos disparos de baterias antiaéreas e o som de aviões sobrevoando a área, mas as aeronaves não foram vistas devido às tempestades de poeira e à fumaça das trincheiras de petróleo incendiadas pelas forças iraquianas.

As forças norte-americanas e britânicas estão enfrentando mais resistência do que esperavam nessa campanha militar para depor o presidente Saddam Hussein.

– Seu sonho de uma guerra curta e fácil começou a se evaporar e suas esperanças de derrotar o povo iraquiano estão sendo destruídas – afirmou um porta-voz militar iraquiano.

Pelo menos dois iraquianos, aparentemente civis, foram mortos nos mais recentes combates. Mulheres choravam sobre seus corpos. Dois fuzileiros navais ficaram levemente feridos e dois soldados iraquianos feridos foram capturados.

As forças britânicas admitiram ter sofrido sua segunda baixa em combate, elevando para 20 o número de britânicos mortos ou desaparecidos desde o início da guerra.

Com um contingente de fuzileiros navais norte-americanos agora na outra margem do Rio Eufrates, em Nasiriya, uma outra coluna militar seguia para o norte pela principal estrada entre Basra e Bagdad, que cruza o rio e passa por uma região a oeste de Nasiriya.

Mais ao norte, uma testemunha disse que uma tempestade de areia estava prejudicando o avanço das tropas norte-americanas que tomaram uma rota pelo deserto, a oeste do rio Eufrates, para chegar a Najaf, a 160 quilômetros ao sul de Bagdad.

– Os ventos se intensificaram durante a noite e a visibilidade nesta manhã caiu para cerca de 500 metros. Os oficiais acham que deve ficar pior. Isso poderia dificultar o uso de helicópteros hoje – disse Luke Baker, da Terceira Divisão de Infantaria dos Estados Unidos, que está em Najaf. A unidade de Baker passou a noite em claro devido a um ataque iraquiano com granadas lançadas por foguetes.