Forças afegãs enfrentam ameaça interna, diz funcionário

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 as 11:51, por: cdb
Afeganistão
Forças afegãs e combatentes do Taleban trocam tiros em Candahar, principal cidade do sul do Afeganistão

O Afeganistão precisa agir com rapidez contra infiltrações de militantes nas suas forças de segurança, e um novo ataque grave contra forças ocidentais pode abalar as relações de Cabul com a Otan, disse um alto funcionário do ministério afegão da Defesa na quarta-feira, numa rara admissão de que há ameaças internas.

No sábado, um tenente-coronel e um major dos EUA foram mortos à queima-roupa em um escritório na sede do Ministério do Interior, um dos prédios mais vigiados do Afeganistão.

Logo depois do ataque, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) retirou todos os seus funcionários dos ministérios de Cabul. Há suspeitas de que o atentado tenha sido uma retaliação pela recente queima de Alcorões em uma base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o que motivou distúrbios violentos em várias partes do Afeganistão.

– Devemos realizar grandes esforços para evitar a infiltração. Esse é um desafio para nós -, disse à agência inglesa de notícias Reuters o alto funcionário ministerial, pedindo anonimato por não estar autorizado a falar – É um assunto muito sério – acrescentou. As autoridades afegãs atribuíram o atentado de sábado ao agente de inteligência policial Abdul Saboor, que está foragido.

O ataque despertou dúvidas sobre a estratégia da Otan de substituir grandes unidades de combate por equipes de consultores especializados, como os dois oficiais norte-americanos que foram mortos.

O trabalho deles é parte da missão de treinamento da Otan que se destina a criar uma força afegã confiável para assumir as tarefas a serem deixadas pela retirada das tropas estrangeiras de combate, até o final de 2014. “Se não tratarmos da infiltração, o Afeganistão vai sofrer. Vamos perder credibilidade junto à Otan e ao resto da comunidade internacional”, disse a fonte do ministério.

Segundo o Pentágono, cerca de 70 membros das forças da Otan foram mortos em 42 ataques de infiltrados entre maio de 2007 e janeiro de 2012.

No mês passado, o governo francês suspendeu suas operações de treinamento e apoio, e anunciou que retiraria totalmente suas tropas até o final de 2013, depois de quatro soldados franceses serem mortos por um colega afegão.

A fonte do Ministério da Defesa disse que o contingente do Exército e da polícia locais – cerca de 250 mil homens – dificulta o combate às infiltrações.

O Afeganistão espera criar uma força com cerca de 350 mil soldados e policiais, para depois cortar parte do contingente.