Força Nacional de Segurança é atacada em favela no RJ

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 as 20:15, por: cdb

Traficantes do Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, lançaram granadas contra a tropa, incendiaram barracas de camelôs e dispararam contra transformadores de energia elétrica nesta quinta-feira. Muitos moradores ficaram sem luz, água e telefone. Os criminosos também usaram um carro, um Picasso, para fazer barricada, a fim de evitar a entrada dos policiais na Favela da Grota, uma das dezoito comunidades que compõem o complexo. O veículo ficou totalmente destruído, com várias perfurações à bala.

O intenso tiroteio começou na noite de quarta-feira e se prolongou durante a madrugada desta quinta, causando pânico a quem mora ou passava por ali. Motoristas que trafegavam pelas ruas do entorno do complexo deram marcha à ré para evitar que fossem atingidos por balas perdidas.

Segundo a Secretaria de Segurança, ninguém, no entanto, ficou ferido nesta quinta, no último dia de operação. Durante o conflito, uma das granadas lançadas pelos bandidos explodiu e destruiu uma loja de material de construção, localizada na principal rua de acesso à Favela do Grota.

Na manhã desta quinta-feira, soldados do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) e oficiais da FNS foram substituídos por policiais militares que atuaram apenas no cerco à comunidade. Houve mais um tiroteio, desta vez entre PMs e bandidos, próximo à Estrada do Itararé. Com medo de serem atingidos por balas perdidas , muitos moradores faltaram ao trabalho.

O objetivo principal da operação era apreender armas e drogas e deter traficantes. Os policiais também checaram uma denúncia de que havia um depósito de armas na região, mas não encontraram nada. Além da Força, a Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil (Core) e o Bope participaram da ação.