Fome ainda afeta 49 milhões de pessoas na América Latina e no Caribe

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de novembro de 2012 as 09:23, por: cdb

(1’25” / 332 Kb) – A fome ainda afeta 49 milhões de pessoas na América Latina e no Caribe, embora 16 milhões tenham saído dessa condição nos últimos 20 anos. De acordo com o Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional 2012 da região, 8,3% da população latino-americana e caribenha não ingere as calorias diárias necessárias para uma vida saudável.

De autoria da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o documento ressalta que o crescimento econômico não foi suficiente para reduzir a vulnerabilidade a qual está exposta grande parte da população.

Nove dos 33 países da América Latina e Caribe têm uma taxa de prevalência da fome abaixo de 5%, enquanto em 16 nações a taxa é superior a 10%. Os países mais afetados são o Haiti (com uma prevalência de 44,5%), Guatemala (30,4%), Paraguai (25,5%), Bolívia (24,1%) e Nicarágua (20,1%).

A FAO ainda destaca que Cuba, Argentina, Chile, México, Uruguai e Venezuela conseguiram erradicar a fome, enquanto os países do Caribe como a República Dominicana, o Haiti e a Guatemala permaneceram com o quadro inalterado. No Brasil, o número de famintos caiu “fortemente”.

Durante a última década tem crescido consistentemente o comércio entre países locais. Para a FAO, isso fortalece a segurança alimentar regional.

De São Paulo, da Radioagência NP, Jorge Américo.

26/11/12

Apenas 600 mil deixaram de passar fome na AL e no CaribeFAO sugere investir em pequenos produtores para evitar crise alimentar