FMS intensifica trabalho de combate à dengue

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de março de 2012 as 13:10, por: cdb

Órgãos firmam parceria

Dando continuidade às parcerias iniciadas para as ações de combate e prevenção contra a dengue, estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira (28), profissionais da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e o presidente da companhia de Águas e Esgotos do Piauí – Agespisa, Raimundo Neto, com o objetivo de firmar parceria para ampliar as atividades educativas e intensificar o combate à dengue na capital.

Participaram da reunião a coordenadora de Ações Assistenciais, Amariles Borba, representantes do Núcleo de Educação e comunicação (Nesc), Gerência de Zoonoses do Controle da Dengue (Gezoon) e o presidente da Agespisa, Raimundo Neto. No encontro foram abordados os dados referentes à notificação da doença e as ações programadas e já realizadas de combate à dengue em Teresina.

Os funcionários da Agespisa serão treinados para orientar a população acerca dos cuidados que devem ser tomados para evitar a proliferação do mosquito vetor da doença. Segundo Raimundo Neto, a Agespisa já é parceira e não vai economizar esforços para colaborar com a FMS. “Os leituristas também vão receber orientações e serão a porta principal para o sucesso dessa parceria”, destaca o presidente.

MAIS PARCERIA
Em reunião realizada ontem (27), a FMS também firmou parceria com o Shopping da Cidade em que será disponibilizada para a FMS uma sala de ações de prevenção à saúde, na qual serão distribuídos folders educativos, preservativos, além de ser realizada a exibição de filmes para todos os visitantes e micro-empreendedores.

De acordo com Amariles Borba o trabalho de enfretamento a dengue precisa da compreensão e da colaboração de todos os cidadãos. “Além da questão do lixo e de objetos esquecidos nos quintais que acumulam água, é preciso lembrar dos locais que armazenam água para o uso doméstico, pois o mosquito se reproduz tanto em água limpa, quanto suja. Os proprietários dos imóveis devem, dessa forma, ter a atitude de evitar os criadouros para que eles não se transformem em disseminadores de Aedes aegypti”, destaca Amariles Borba.