FMI diz que Lula merece apoio da comunidade internacional

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de janeiro de 2003 as 23:43, por: cdb

O diretor gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Horst Köhler, disse hoje que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva adotou a agenda correta. Ele afirmou que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, vem trabalhando com muito afinco e que os mercados estão aprovando isso. Mas o ambiente global apresenta novos desafios que, segundo ele, dificultam essa tarefa do governo brasileiro.

Köhler está otimista em relação ao Brasil. “As políticas que foram definidas pelo governo para enfrentar os desafios demonstram que é correto apoiar o governo Lula”, disse. Ao ser indagado se comentou com Lula e Palocci sobre o eventual aumento do superávit primário no Brasil, Köhler disse que sim, mas que uma conversa mais detalhada ficará para os especialistas.

O governo brasileiro já anunciou que vai aumentar a meta de superávit primário, que foi de 3,75% do PIB em 2002. “Essa decisão é um passo muito bom, demonstra que esse governo quer manter a disciplina fiscal.” Köhler considera muito encorajadora a suspensão da concorrência pelo governo brasileiro para compra de aviões caça. Para ele, isso demonstra que o governo quer gastar com mais eficiência e que é possível ter uma agenda social sem profilaxia na política fiscal. “O governo merece todo o apoio da comunidade internacional.”

Köhler disse também que Lula insistiu muito nas questões comerciais. Segundo ele, o presidente afirmou que “os países ricos deveriam demonstrar que estão preparados para abrir os mercados aos produtos brasileiros”. “Essa estratégia de Lula pela abertura comercial é correta. Ele deve insistir nisso, pois é um ponto estratégico para o crescimento do Brasil”, afirmou.

Ao ser questionado se o País está preparado para enfrentar um conjuntura internacional adversa, como uma guerra, Köhler disse que Lula afirmou que a prudência é o melhor caminho para se proteger da hostilidade no Oriente Médio. Ele disse ainda que o governo Lula está determinado a atingir o crescimento econômico com igualdade social e disciplina fiscal.

O diretor gerente do FMI se reuniu com Lula durante 1h30. Também participaram da reunião um dos vice-diretores-gerente do FMI, o indiano Anoop Singh, e o ministro da Fazenda, Antonio Palocci.