Fluminense fecha o ano com prejuízo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de dezembro de 2002 as 23:17, por: cdb

Mesmo tendo conquistado o Campeonato Carioca e chegado na semifinal do Campeonato Brasileiro, financeiramente o ano de 2002 foi péssimo para o Fluminense. O clube encerra a temporada devendo quatro meses de salários na carteira de trabalho e oito de direitos de imagem. Fora isso, ainda tem cerca de R$ 45 milhões em dividas fiscais e trabalhistas.

Após três ano sob a gestão do presidente David Fischel, esta foi a primeira temporada em que o clube atrasou os salários dos jogadores. Segundo o vice de futebol Marcelo Penha, que é advogado, o motivo da crise financeira é o grande numero de processos antigos que só agora foram executados.

“Quando essa diretoria assumiu, já havia vários processos em fase de tramitação na Justiça, mas só agora estão sendo executados. De três anos para cá, já pagamos cerca de US$ 20 milhões em dividas”, explicou o dirigente.

Nem mesmo as cotas de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro, de aproximadamente R$ 850 mil mensais, aliviaram o problema do Fluminense, pois todas elas foram penhoradas para o pagamento de dividas, bem como a renda dos jogos em que teve o mando de campo.

“A pior coisa para a diretoria é atrasar os salários dos jogadores, mas não tivemos como evitar. É impossível fazer um planejamento financeiro num mês, se logo depois aparece uma ação de R$ 900 mil para ser paga a um treinador que não trabalha no clube desde 1997, como aconteceu recentemente”, explicou Penha.