Fluminense está a uma vitória da classicação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 14 de novembro de 2002 as 23:08, por: cdb

Com a vitória de 2 x 0 sobre a Portuguesa, na noite desta quinta-feira, no Maracanã, o Fluminense está de volta à zona de classificação. O time ocupa agora o oitavo lugar na tabela, com 37 pontos, e precisa vencer Ponte Preta domingo para carimbar o passaporte à próxima fase do Brasileiro.

Já a Lusa, caiu para a 22a colocação, com 27 pontos, e ficou mais perto do rebaixamento. Agora, terá de ganhar do Bahia, em Mogi Mirim-SP, para não depender de outros resultados para se manter na primeira divisão.

Precisando da vitória para se manter na briga pela classificação, o Fluminense impôs pressão desde o começo. Com apenas 30 segundos, Roni percebeu que o goleiro Bosco estava adiantado e arriscou um chute de fora da área, que passou por cima do travessão.

Mas a Portuguesa não se intimidou e buscou o ataque. Aos 7min, Ricardo Lopes recebeu passe de Ricardo Lopes da direita, deu um drible que deixou o zagueiro César no chão e chutou no canto esquerdo do goleiro Kléber, que não teve dificuldades para fazer a defesa.

O jogo ficou equilibrado e as duas equipes se alternavam no ataque. Faltava, porém, mais precisão nos passes e, principalmente, nas finalizações.

O Tricolor teve boa chance de abrir o marcador aos 20min: o lateral-direito Jancarlos viu Roni livre na entrada da grande área e tocou para o meio. Mas o goleiro Bosco saiu bem do gol e chegou na bola antes do atacante.

Aos 29min, foi a vez da Portuguesa desperdiçar ótima oportunidade de marcar. O atacante Ricardo Oliveira, recém-convocado para a Seleção Brasileira para disputar o amistoso com a Coréia do Sul, dia 20, driblou o zagueiro Andrei e o goleiro Kléber e, a poucos metros do gol, chutou para fora.

Aos 31min, Roni recebeu de Jancarlos, da direita, e deixou Romário cara a cara com o goleiro Bosco. A torcida tricolor já estava de pé, pronta para comemorar o gol, quando o Baixinho quase mandou a bola para fora do Maracanã. Incrédulo, o técnico Renato Gaúcho levou as mãos à cabeça.

Mas Romário compensou o gol desperdiçado com sua experiência. Depois de ficar com a sobra de um chute de Roni, o craque tentou driblar o goleiro Bosco e foi derrubado na pequena área. Pênalti marcado pelo juiz Luciano Almeida, que ele mesmo converteu, marcando seu gol de número 145 no Maracanã.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com a mesma determinação do começo. Logo no primeiro lance, Beto conduziu a bola pelo meio e soltou uma bomba de fora da área, que passou rente à trave esquerda de Bosco.

A primeira boa chance da Lusa no segundo tempo aconteceu aos 9min. Ricardo Oliveira bateu falta da entrada da grande área e o goleiro Kléber fez ótima defesa, em dois tempos.

Num lance quase idêntico ao do primeiro tempo, Bosco cometeu falta em Roni na pequena área, aos 14min. Romário cobrou mais uma vez e deixou o Fluminense em situação confortável na partida.

Com a vantagem de 2 x 0, o técnico Renato Gaúcho decidiu poupar o meia Beto, que vinha de uma lesão, e colocou Marciel em seu lugar. O Tricolor passou a prender mais a bola e jogar no contra-ataque, conseguindo segurar o resultado até o final.

FLUMINENSE 2 x 0 PORTUGUESA

Fluminense
Kléber; Jancarlos, César, Andrei e Alonso; Marcão, Beto (Marciel), Zada e Yan (Carlos Alberto); Roni (Magno Alves) e Romário
Técnico: Renato Gaúcho

Portuguesa
Bosco; Ricardo Lopes, Júnior, César e Júlio (Paulo Fabrício); Sandro, Rocha, Éder (Alexandre Gaúcho) e Édson Araújo; Cléber (André Pinto) e Ricardo Oliveira
Técnico: Gilson Nunes

Data: 14/11/2002 (quinta-feira)
Local: Maracanã
Público: 11.665 pagantes
Renda: R$ 94.876
Juiz: Luciano Augusto Almeida (Fifa/DF)
Cartões amarelos: Bosco, Sandro Fonseca e César (P),
Gols: Romário, aos 40min do primeiro tempo e aos 14min do segundo tempo