Fluminense é derrotado na reestréia de Romário

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 14 de junho de 2003 as 18:24, por: cdb

Foi infeliz a reestréia de Romário com a camisa do Fluminense. O Baixinho até marcou um gol de pênalti, mas não evitou a derrota de sua equipe por 3 a 2 para o Goiás, neste sábado à tarde, no Maracanã.

Araújo, Gil Baiano e Dimba marcaram para os goianos. Carlos Alberto fez o outro dos cariocas. Com a vitória, a primeira sobre o Flu no Rio de Janeiro na história da competição nacional, o Goiás chegou aos nove pontos, mas ainda terá que esperar outra rodada para deixar a lanterna.

O Tricolor conheceu sua quinta derrota e permaneceu com 16 pontos. Logo de início ficou claro que seria uma tarde difícil para o Fluminense. Com quatro minutos, o Goiás assustou pela primeira vez. O lateral-esquerdo Marcinho cruzou e Araújo por pouco não completou.

Os visitantes continuaram em cima e abriram a contagem aos 11 minutos. Dimba recebeu de Gustavo na direita e mandou para a área. Araújo se antecipou à zaga tricolor e tocou para o gol diante de Kléber.

Até então sem ameaçar a meta adversária, o Fluminense empatou aos 17. Carlos Alberto dominou na entrada da área e chutou sem tanta força, mas o goleiro Gilmar caiu atrasado e colaborou para que a bola entrasse.

A festa da torcida do Flu durou três minutos. Aos 20, o Goiás pulou novamente na frente do placar após bela triangulação de seus jogadores. Araújo levantou da direita, Dimba ajeitou de cabeça para o meio da área e Gil Baiano, livre, escorou para a rede.

Dois minutos depois, o Tricolor chegou perto do empate. Djair cobrou falta da direita e Marcão desviou de cabeça. Gilmar salvou. Aos 29, o Goiás foi ao ataque e mostrou como se faz: Dimba recebeu na meia-lua, tirou dois adversários do lance com um único drible e bateu no canto direito de Kléber: 3 a 1.

Aos 32, quase saiu o quarto gol dos goianos. Araújo puxou contra-ataque e rolou na direita para Gustavo, que chutou por cima. Foi a senha para o técnico do Flu, Renato Gaúcho, fazer a primeira substituição. Sacou o zagueiro Zé Carlos, que saiu vaiado, e colocou o meia Josafá.

Aos 41, o Goiás criou outra oportunidade. Dimba deu de calcanhar e deixou Gustavo na cara de Kléber, mas o lateral tocou pela linha de fundo.

À vontade, o Goiás ainda se deu ao luxo de desperdiçar um pênalti. Aos 45 minutos, Gil Baiano entrou na área e foi derrubado por Djair. Dimba, porém, cobrou no meio do gol e Kléber salvou o Fluminense.

O lance animou o Tricolor na volta para o segundo tempo. Mais ainda depois que aos dois minutos Gustavo foi expulso e deixou o Goiás com um jogador a menos. Aos cinco, Romário finalizou pela primeira vez. De fora da área, o Baixinho concluiu fraco, e Gilmar agarrou.

O Fluminense continuou pressionando. Aos sete, Sorato buscou o ângulo em cobrança de falta, mas Gilmar foi na bola. Em seguida, aos 10, Zada chutou, o goleiro se atrapalhou e derrubou Romário, que tentava o rebote. O árbitro não viu dessa forma e mandou seguir.

Recuado, o Goiás oferecia campo ao Flu. Aos 21 minutos, Carlos Alberto acertou a trave esquerda de Gilmar em cobrança de falta. Três minutos depois, Renato substituiu mais um zagueiro: tirou Augusto e entrou com o apoiador Lopes.

Aos 37 minutos, Marcão foi expulso e os dois times ficaram com 10 jogadores. Em seguida, aos 39, Romário mandou para a rede de Gilmar, mas estava em impedimento.

Só aos 45 minutos o Baixinho conseguiu marcar. E de pênalti, que fora sofrido por Carlos Alberto. O atacante cobrou no canto esquerdo e descontou, mas os três pontos ficaram com o Goiás.