Flu x Vasco: guerra que vale o título

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de março de 2003 as 20:01, por: cdb

O clássico entre Vasco e Fluminense, neste domingo, no Maracanã, vai fechar o Campeonato Carioca 2003, uma competição marcada pelo péssimo nível das arbitragens, por goleadas em clássicos, pelo surpreendente abandono de Romário e Petkovic a seus clubes e, principalmente, pelo ressurgimento de Marcelinho, que andava esquecido no Japão e acabou se transformando no destaque do campeonato.

Curiosamente, os craques que acabaram seduzidos pelos dólares do Qatar e da China deixaram na mão justamente as duas equipes que se habilitaram para a final. O Baixinho rescindiu o contrato e trocou o Tricolor pelo Al-Saad, onde, em princípio, ficará até 31 de maio, enquanto o sérvio praticamente fugiu de São Januário para defender o Shenshua Shangai, por três anos.

No histórico de goleadas, destaque para o Fluminense, que aplicou 3 x 0 no Flamengo e 5 x 0 no Botafogo na fase classificatória. No segundo jogo da semifinal, novamente o Rubro-negro saiu derrotado de forma humilhante, desta vez pelo placar de 4 x 0.

Já o Vasco, embora tenha sido o melhor time da primeira fase, não havia vencido nenhum clássico até a última quarta-feira, quando derrotou o Tricolor por 2 x 1. Foram três empates, sendo o último com o Flamengo, em 1 x 1, que culminou com a conquista da Taça Guanabara.

O Vasco está mais perto de pôr fim ao jejum de quatro anos sem um título estadual do que o Fluminense do bicampeonato. Como entrou na final podendo empatar os dois jogos para ser campeão e venceu a primeira partida, o time cruzmaltino poderá até perder por um gol de diferença que, mesmo assim, leva a taça para São Januário.

Baseado nas estatísticas promete ser árdua a missão do Fluminense, que precisa fazer dois gols e não sofrer nenhum para ser campeão. Em 14 jogos na competição, o Vasco sofreu apenas 13 gols – média inferior a um por partida – e marcou 31. O detalhe é que a equipe cruzmaltina balançou a rede adversária em todos os jogos, inclusive na única derrota no campeonato – 2 x 1 para o Americano, em Campos.

Nas Laranjeiras, o técnico Renato Gaúcho continua apostando no mistério como uma das armas para bater o rival. O treinador confirmou o retorno de Jancarlos à lateral direita, no lugar de Zada, e o de Carlos Alberto no meio-campo. Aí entra a dúvida de Renato, que preferiu não divulgar quem sai da equipe. Marciel e Djair, recuperado de uma lesão muscular, disputam a preferência do treinador.

No ataque, Fábio Bala, que foi muito mal no primeiro jogo da decisão, está mantido ao lado de Ademílson. Marcelo, autor de dois gols em três partidas, segue como opção na reserva.

Assim como o adversário, o Vasco não vai repetir a mesma equipe de quarta-feira. O volante Henrique barrou Rogério Correa e atuará ao lado de Bruno Lazaroni à frente da zaga. O técnico Antônio Lopes já tem o atacante Valdir à disposição, mas deverá utilizá-lo somente no segundo tempo. Souza, que fez um dos gols na vitória de 2 x 1, segue ao lado de Marques no ataque. O maior trunfo continua sendo Marcelinho, o faz-tudo na equipe cruzmaltina.

VASCO x FLUMINENSE

Data: 23/3/2003 (domingo)
Local: estádio Maracanã
Horário: 17 horas
Juiz: Samir Yarak
TV: Globo e Sportv, ao vivo
Ingressos: Setor branco a R$ 15; setores verde e amarelo a R$ 10; cadeira comum a R$ 5; geral a R$ 3 e cadeira especial a R$ 50, nas bilheterias do estádio. Venda antecipada em São Januário e Laranjeiras: sábado, de 9h às 18h, e domingo, de 9h ao meio-dia.

Vasco
Fábio, Russo, Wellington Paulo, Alex e Edinho; Henrique, Bruno Lazaroni, Léo Lima e Marcelinho; Marques e Souza
Técnico: Antônio Lopes

Fluminense
Kléber, Jancarlos, César, Zé Carlos e Jadílson; Marcão, Marciel (Djair), Alex Oliveira e Carlos Alberto; Ademílson e Fábio Bala
Técnico: Renato Gaúcho