Flu vence clássico carioca e entra no grupo de classificação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 31 de outubro de 2002 as 23:20, por: cdb

Num jogo dramático, o Fluminense venceu o Vasco por 2 x 1, na noite desta quinta-feira, no Maracanã. Todos os gols foram marcados no segundo tempo, por César, Valdir e Beto. Com o resultado, o Tricolor agora é o oitavo colocado do Campeonato Brasileiro – desde as primeiras rodadas que não estava no G-8. Já o Vasco se aproxima ainda mais do rebaixamento.

Antes do jogo, Romário cumprimentou o ex-craque Rivelino, que deu o pontapé inicial. A categoria ficou por aí e o jogo começou nervoso, tecnicamente fraco e com poucos lances de perigo. O Fluminense queria a vitória para chegar no grupo dos oito primeiros e teve chance de abrir o placar aos 20min, quando o meia Beto chutou forte e o goleiro Flávio defendeu com dificuldade.

Até que, aos 24min, Romário sentiu uma fisgada na coxa e foi substituído por Magno Alves. O craque tricolor deixou o gramado sob vaias da torcida do Vasco, que gritou por Edmundo e o chamou de “bichado”. O time de São Januário passou a criar chances de gol e isto quase aconteceu aos 29min, quando Petkovic cobrou falta de longe e a bola sobrou para Valdir, na pequena área, finalizar errado.

O Vasco continuou melhor e Petkovic voltou a assustar numa cobrança de falta, que o goleiro Kleber espalmou para escanteio. Pouco depois, foi a vez de Valdir perder mais uma chance. O Fluminense reagiu aos 42min com Magno Alves, que perdeu uma incrível oportunidade. O atacante recebeu de Roni na grande área e foi desarmado por Fábio com as mãos.

O primeiro lance ameaçador do segundo tempo foi de Ramon, que chutou cruzado, rasteiro, para a defesa difícil de Kleber, que estava com a visão encoberta por vários jogadores. Aos 15min, Petkovic manteve a rotina de perder faltas – não fez nenhum gol assim, desde que chegou em São Januário.

Chovia forte no Maracanã e Beto, então, resolveu arriscar de fora da área, Fábio se atrasou e a bola explodiu na trave esquerda do Vasco. A torcida do Fluminense gostou do que viu e passou a cantar, clamando por deus. Em parte foi atendida aos 21min, quando César aproveitou falta cobrada na esquerda por Marquinhos, se antecipou à marcação e cabeceou no canto direito para fazer 1 x 0.

Mas a alegria tricolor durou pouco e Valdir empatou aos 25min. O artilheiro do bigode matou a bola com o braço – o juiz não viu – e mandou uma bomba no ângulo de Kleber para empatar o jogo. O Fluminense perdeu Fabinho, expulso com justiça, mas quase fez o segundo com Roni, de cabeça. Aos 40min, Beto cobrou falta com violência, no canto direito de Fábio, que ainda tocou na bola, para marcar 2 x 1 e garantir a vitória.

FLUMINENSE 2 x 1 VASCO DA GAMA

Fluminense
Kleber; Flávio, César, Zé Carlos e Marquinhos; Fabinho, Sidnei (Yan), Beto e Zada; Roni (Rodolfo) e Romário (Magno Alves)
Técnico: Renato Gaúcho

Vasco
Fábio; Geder, Rogério Pinheiro e Bruno Lazaroni (Souza); Russo, Henrique (Cadu), Léo Lima (Rodrigo Souto), Petkovic e Edinho; Ramon e Valdir
Técnico: Antônio Lopes

Data: 31/10/2002 (quinta-feira)
Local: Maracanã
Público: 29.279 pagantes
Renda: R$ 241.959
Juiz: Edílson Soares da Silva (RJ)
Cartões amarelos: Sidnei, Ramon, Petkovic, Fabinho, Bruno Lazaroni, Rodrigo Souto, Marquinhos, Yan e César
Cartão vermelho: Fabinho
Gols: César, aos 21min, Valdir, aos 25min e Beto, aos 40min do segundo tempo