FitMetal debate política nacional e internacional

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 25 de janeiro de 2012 as 11:49, por: cdb

Em sua primeira reunião do ano, dirigentes da Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal) contaram com a presença do presidente e vice-presidente da CTB, Wagner Gomes e Nivaldo Santana, respectivamente, além de José Reinaldo Carvalho, diretor do Centro Brasileiro de Solidariedade aos povos pela Paz (Cebrapaz).

Na pauta da reunião da executiva ampliada, realizada na última quinta-feira (19) na sede da CTB, os diretores da entidade discutiram o planejamento de ações da entidade para o primeiro semestre e fizeram um balanço das atividades da Federação.

Nivaldo Santana destacou que o movimento sindical deve continuar sua luta pela valorização dos salários dos trabalhadores, pois os empregos com baixos salários estão em crescimento, mas os empregos com salários maiores, como é caso da categoria dos metalúrgicos, vêm diminuindo consideravelmente em nosso país. “O recuo da indústria no Brasil, a falta de uma política industrial forte com investimento em tecnológica industrial são uma das causas da desvalorização dos salários”, alertou Nivaldo.

O presidente da CTB, Wagner Gomes, informou aos dirigentes da Fitmetal que as centrais sindicais estão planejando as ações deste ano em cima das bandeiras tiradas durante a Conclat – Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, realizada em junho de 2010. “As centrais devem organizar uma marcha a Brasília pela mudança da política dos juros altos e pelos direitos dos trabalhadores. Para a CTB o governo deveria avançar mais, estamos incomodados com a atual política, que a nosso ver está bem abaixo do que fez o governo Lula”, desabafou Wagner Gomes.

Para o diretor da Cebrapaz, José Reinaldo, é fundamental que haja uma intensificação das relações e vínculos dos movimentos sindicais e sociais com o Cebrapaz. “Os trabalhadores têm tudo a ver com a luta pela paz mundial, a luta contra o imperialismo, que só é vitoriosa se houver a participação dos trabalhadores e das massas populares”, alertou José Reinaldo.

O dirigente do Cebrapaz fez uma análise das conjuntura internacional. Acentuou a grave crise do sistema capitalista, denunciou as políticas dos governos conservadores e sociais-democratas lesivas aos interesses e direitos dos trabalhadores. Demonstrou que as chamadas políticas de resgate consistem na transferência de trilhões de dólares e euros para os bancos, em detrimento dos investimentos em políticas sociais.

Para José Reinaldo, a situação internacional é grave e carregada de ameaças à paz mundial, à soberania nacional, aos direitos dos povos e dos trabalhadores. Ele alertou para as políticas de guerra do imperialismo norte-americano e seus aliados da União Europeia, que através da Otan massacraram o povo líbio. O dirigente do Cebrapaz denunciou as ameaças e pressões do imperialismo contra a Síria e o Irã.

Em sua análise da situação, José Reinaldo destacou ainda a resistência dos povos e dos trabalhadores em todo o mundo e destacou o novo papel da América Latina, com o avanço dos governos democráticos e progressistas. E ele defendeu a solidariedade dos trabalhadores com a Revolução Cubana, a Revolução Bolivariana da Venezuela e com o povo palestino em sua luta pela criação do seu Estado independente. Conclamou também à solidariedade com todos os povos ameaçados e agredidos pelo imperialismo

Reinaldo lembrou ainda que o Brasil é um país conhecido por manter uma política externa de pacificação com os povos, e que no governo Lula isso ficou mais evidente, quando este afirmou que era contra a guerra do Iraque em 2003, reiterando nossa política pela soberania dos povos.

Na avaliação do presidente da Fitmetal, Marcelino Rocha, esta reunião definiu que a federação deve participar integralmente da agenda unificada das centrais sindicais, além de atuar efetivamente nas eleições sindicais dos metalúrgicos que ocorrerão este ano, participar da preparação do 1º de maio unificado. “Além de todas estas ações citadas, estaremos concentrando nossos esforços na preparação do 2º Congresso da Fitmetal, que ocorrerá no primeiro semestre deste ano, e apoiar e acompanhar todas as campanhas salariais de nossa categoria”, destacou.

Com informações de Lourdes Augusto, da FitMetal

 

..