Fiocruz: 14% de carbonato de bário é encontrado em amostras do Celobar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 13 de junho de 2003 as 19:52, por: cdb

O Instituto Nacional de Controle de Qualidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) detectou 14% de carbonato de bário, ao fazer a análise quantitativa em amostras do lote 3040068 do Celobar.

De acordo com a assessoria do Instituto, a farmacopéia americana, adotada no Brasil, admite uma contaminação de 0,001%. A substância é um sal solúvel que pode ser absorvido pelo organismo, causando intoxicação.

O titular da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde Pública, Renato Nunes, disse que o resultado será encaminhado a um perito da química do Instituto de Criminalística Carlos Éboli para comprovar se esse teor de contaminação pode mesmo ter sido acidental, como alega o químico Wagner Teixeira.

O delegado está esperando também, os resultados das análises feitas nas vísceras de Ricardo Diomedes, a primeira vítima suspeita do Celobar no Rio de Janeiro, ainda não incluído nas estatísticas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ele aguarda também o resultado da perícia feita nos computadores, nos livros de registro e nas notas ficais apreendidas na última quarta-feira, no laboratório Enila, fabricante do Celobar.