Filme polêmico na estréia de Festival de San Sebastián

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 18 de setembro de 2003 as 19:00, por: cdb

O 51° Festival de Cinema de San Sebastián começa nesta quinta-feira marcado por uma polêmica política em torno da última obra de Julio Medem e pela inesperada ausência do presidente de seu júri, o ator Chazz Palminteri.

O documentário de Medem “La pelota vasca, la piel contra la piedra” provocou protestos acirrados de integrantes do Fórum de Ermua, uma organização que defende a paz no País Basco, pedindo que sejam suprimidas suas intervenções no filme.

Medem, que é basco, divulgou um comunicado dizendo que não vai responder às acusações antes da estréia do filme, marcada para o domingo, 21 de setembro.

Com relação a Chazz Palminteri, a direção do festival lamentou a ausência do ator americano e especialmente o fato de sua decisão ter sido anunciada de maneira tão tardia. Segundo Palminteri, ele foi tomado por motivos de trabalho.

O filme “Suite Habana”, uma co-produção hispano-cubana dirigida por Fernando Pérez, inaugura nesta quinta-feira a seção oficial do festival. O evento será encerrado no dia 27 de setembro com a exibição do faroeste de Kevin Costner “Open range”, estrelado pelo próprio Costner, Robert Duvall e Annette Bening. Duvall, Sean Penn e a atriz francesa Isabelle Huppert vão receber o Prêmio Donosti 2003, uma homenagem concedida às grandes figuras do cinema.

O festival também terá retrospectivas da obra dos diretores Preston Sturges e Michael Winterbottom, enquanto a mostra “Entre amigos e vizinhos, porta aberta ao Magreb” vai oferecer uma visão panorâmica do cinema magrebino (do norte da África), “injustamente ausente dos circuitos comerciais”, segundo os organizadores. O cineasta brasileiro Hector Babenco é membro do júri.