Fifa autoriza Camarões a usar o nome de Foe em todas as camisas na final

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de junho de 2003 as 11:04, por: cdb

A Fifa, que nesta sexta-feira anunciou a suspensão das festas de encerramento da Copa das Confederações, em função do falecimento do camaronês Marc-Vivien Foe, afirmou que permitirá que todos os seus companheiros de equipe usem o nome do jogador na camiseta.

O presidente do Comitê Organizador da Copa das Confederações, Chuck Blazer, garantiu que a seleção de Camarões “expressou seu desejo de jogar a final em memória de Foe”, mas que se decidiu “modificar a programação devido à tragédia”.

Blazer disse que os organizadores tinham preparado uma cerimônia festiva para a final, que será cancelada, para “deixar todo o espaço para o futebol”.

O presidente da competição garantiu que buscará uma fórmula para que o nome de Foe esteja nas camisetas de todos os jogadores camaroneses, como estes pediram.

Blazer quis acabar com toda a polêmica sobre as circunstâncias da morte do jogador, sobre o funcionamento dos serviços médicos no estádio Gerland de Lyon e sobre o acúmulo de jogos no final da temporada e sob altas temperaturas.

– Temos que esperar para conhecer as causas da morte, mas não acho que possamos ligá-la ao calor. Também não estou de acordo que se associe a morte do jogador com as condições desta competição – declarou Blazer, que lembrou que Foe não tinha jogado na terceira partida da primeira fase, razão pela qual “tinha podido descansar”.

– Estamos orgulhosos da forma como se atuou, acho que foi feito o que tinha que ser feito, tanto por parte dos médicos de emergência como por parte dos médicos franceses, que atuaram de forma satisfatória – disse.

O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Claude Simonet, não compartilhou da opinião do médico da seleção francesa, Jean-Marcel Ferret, que tinha garantido que esta competição obrigava os jogadores a disputarem muitas partidas em pouco tempo.

– Esta é uma competição da Fifa organizada depois de uma profunda reflexão. Em alguns campeonatos próximos de nosso país, se jogam partidas a cada três dias e não ouvimos os treinadores se queixarem todo o tempo. Não estou de acordo com o questionamento da competição. A Fifa e a FFF têm sua opinião, e o senhor Ferret tem outra – disse.

A Fifa frisou que todos os mecanismos médicos funcionaram com perfeição e, em um comunicado, relatou as atuações no momento da tragédia.

A entidade também afirmou que o jogador tinha tido uma diarréia dois dias antes da partida, por isso Foe fez um exame de sangue em Saint-Etienne, que revelou normalidade em seu estado de saúde e ausência de infecção.