Fidel sabia que Kennedy seria assassinado, diz ex-agente da CIA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de maio de 2012 as 13:36, por: cdb
Atualizado em 13/05/18 02:43

De acordo com Latell, que relança a tese do vínculo do então presidente cubano com a morte de Kennedy, então presidente norte-americano, Fidel tinha recebido a informação de seus espiões.

 

Por Redação, com Ansa – de Washington

 

O ex-presidente de Cuba Fidel Castro sabia que o John Kennedy seria assassinado em Dallas em 22 de novembro de 1963, defendeu o ex-funcionário da CIA Brian Lattel, no livro “Castro’s Secrets” (Segredos de Castro, na tradução livre do inglês).
   

Kennedy foi morto em um atentado em Dallas, Texas
Kennedy foi morto em um atentado em Dallas, Texas

De acordo com Latell, que relança a tese do vínculo do então presidente cubano com a morte de Kennedy, então presidente norte-americano, Fidel tinha recebido a informação de seus espiões.

Alvo da CIA
   
O ex-chefe dos analistas da CIA para a América Latina, no entanto, não defende que o ex-mandatário cubano tenha ordenado assassinato, mas sim que ele estava perfeitamente inteirado sobre o que ia acontecer.
   
A fonte desta informação seria um agente cubano desertado chamado Florentino Aspillaga, segundo o qual no dia do ocorrido todos os agentes que trabalhavam interceptando comunicações da CIA, na Flórida, receberam a ordem de orientar suas antenas em direção ao Texas.
   
No livro, Lattel também afirma que Lee Harvey Oswald, o assassino de Kennedy, matou o jovem mandatário porque sentia devoção pela revolução cubana e queria proteger Fidel, já que ele sabia, por meio de informações do serviço secreto cubano, que existiam planos de matá-lo.