Fiat quer aumentar exportações para América Latina em 2002

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de dezembro de 2001 as 21:15, por: cdb

A Fiat Automóveis pretende ampliar suas exportações para a América Latina em 2002. A meta é destinar cerca de 30% de suas remessas para países como Venezuela, Colômbia, Argentina , Peru e Equador.

Até abril, a montadora vai iniciar as exportações do utilitário multiuso Doblò no mercado latino-americano. O veículo foi lançado no País em outubro e é produzido em Betim (MG), tendo recebido investimentos de R$ 280 milhões. O Brasil é o segundo pólo produtivo do Doblò. O veículo também é fabricado na Turquia desde novembro de 2000, para abastecer o mercado europeu.

Hoje, a Europa é o principal mercado dos veículos produzidos pela empresa no Brasil, com uma participação de 80% nas exportações, percentual que deverá cair para 70% no próximo ano. A partir de março, a Fiat inicia as vendas dos veículos da família Palio, produzidos em Betim (MG), no mercado europeu.

Segundo Gianni Coda, superintendente da montadora na América do Sul, as exportações da empresa em 2002 devem voltar aos níveis do ano passado, entre 70 mil e 75 mil unidades, o equivalente a cerca de US$ 700 milhões. Em 2001, o valor e o volume exportados pela empresa foram inferiores: aproximadamente 53 mil veículos, responsáveis por uma receita de US$ 500 milhões.

De janeiro a outubro, a Fiat exportou um valor 25% menor que o do mesmo período do ano passado, segundo informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). O total vendido no mercado externo pela montadora alcançou US$ 408,3 milhões nos dez primeiros meses do ano, ante US$ 543,4 milhões no mesmo período de 2000. Segundo Coda, a montadora direcionou o foco de suas atividades para o mercado brasileiro, o que provocou a redução das exportações.