FHC diz que Lula vai entender porque muitas coisas não foram feitas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 8 de dezembro de 2002 as 23:34, por: cdb

O presidente Fernando Henrique Cardoso disse neste domingo em Nova York que se fosse reeleito novamente faria mudanças em seu governo.

“Se eu fosse eleito pela terceira vez, eu faria diferente”, afirmou, ao sair de um almoço com o presidente do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), Enrique Iglesias, no hotel The Plaza, em Manhattan.

O presidente, no entanto, não explicou o que mudaria em um hipotético terceiro mandato.

Fernando Henrique disse ainda que o exercício do poder vai mostrar ao seu sucessor, Luiz Inácio Lula da Silva, que não é possível fazer tudo o que se pretende em um governo.

Mudanças

“Quando as pessoas assumem o governo, como é o caso do presidente Lula, eles vão compreender talvez melhor que se não se fez mais é porque é difícil fazer mais e vai ver também que nós fizemos numa direção que não é muito diferente de uma direção que é do desejo dele (Lula).”

Fernando Henrique disse que espera mudanças do governo Lula, mas voltou a dizer que não existem soluções equivalentes à “invenção da roda” para problemas conhecidos do Brasil, como a pobreza e a vulnerabilidade econômica.

O presidente também sugeriu que o Brasil só não se desenvolveu mais durante os seus oito anos de governo por causa das tubulências nos mercados internacionais.

“O desenvolvimento econômico foi menos do que nós queríamos, mas com uma política social firme, foi possível, a despeito disso e da política de estabilização que n]os mantivemos esses anos todos – controlando a inflação, aumentar o gasto social e melhorar a qualidade do gasto.

Para Fernando Henrique, o prêmio que ele recebe nesta segunda-feira por contribuição ao desenvolvimento humano reflete as melhoras sociais ocorridas no Brasil nos últimos anos.

“Foi o reconhecimento do fato de que o Brasil foi o país em desenvolvimento que mais depressa atendeu à melhoria dos índices de educação, de saúde, de acesso à terra em um clima de democracia e de liberdade.”

Questionado se estava preparado para receber críticas do futuro governo, Fernando Henrique disse que já vem sendo atacado e emendou: “Em matéria de crítica, acho que sou campeão.”