FGV: Indústria está mais otimista quanto ao crescimento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de abril de 2006 as 09:52, por: cdb

A indústria brasileira acredita que a retomada do setor vista no início do ano deve persistir ao longo de 2006, segundo sondagem da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que apurou o sentimento dos industriais em abril. Segundo a sondagem, divulgada nesta quarta-feira, a percepção da indústria sobre a situação presente aponta em abril um quadro melhor que o avaliado no início do ano.
 
A situação atual dos negócios foi avaliada como boa por 25% e fraca por 22% dos industriais ouvidos. Na sondagem anterior, feita em janeiro, esses números eram de 20% e 19%, respectivamente. O nível dos estoques foi considerado insuficiente por 5 % das empresas, acima dos 3 % que achavam isso na sondagem de janeiro. Nas duas pesquisas, 11 % consideravam os estoques excessivos.

O nível da demanda foi classificado como forte por 16% dos entrevistados em abril, contra 9% em janeiro. Manteve-se em 19% a porcentagem dos que a consideram fraco.

“As perspectivas para os negócios em um horizonte de seis meses também melhoraram em abril”, disse a FGV em comunicado.

Na sondagem de abril, 54% acreditavam que a situação dos negócios deve melhorar nos seis meses seguintes, contra 50% em janeiro. Entre os empresários, 10 % continuaram prevendo que o quadro iria piorar.

Para os próximos três meses, 46% dos industriais prevêem aumento da demanda, contra 45% em janeiro. Manteve-se em 12% o número dos que estimam diminuição.
Para 56%, a produção deve aumentar nos três meses à frente e para 13%, diminuir. Na sondagem de janeiro, essas porcentagens eram de, respectivamente, 52% e 11%.
Em relação ao emprego, 25% pretendem contratar mais nos próximos três meses e 17% acham que vão diminuir o pessoal, contra 24% e 10% na sondagem anterior.

A pesquisa ouviu 491 industriais entre 31 de março e 10 de abril.