Festival de Cinema de Berlim terá sexo e pornografia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 1 de fevereiro de 2005 as 18:46, por: cdb

O Festival de Cinema de Berlim, que começa na próxima semana, dará destaque ao sexo e à indústria da pornografia, depois de no ano passado a atriz principal do filme que recebeu o Urso de Ouro ter sido criticada publicamente por ter trabalhado anteriormente em produções pornô.

O diretor do Berlinale, Dieter Kosslick, disse que o destaque ao sexo e à pornografia não é tanto um reconhecimento da polêmica que envolveu “Head-On”, estrelado por Sibel Kekilli, quanto uma homenagem ao pioneiro das pesquisas sexuais Alfred Kinsey e também ao sucesso comercial dos filmes pornô.

“O fato é que simplesmente há muitos filmes sobre sexo e pornografia no mercado”, disse Kosslick, cujo evento é frequentemente classificado entre os mais importantes festivais de cinema do mundo, depois dos de Cannes e de Veneza.

“Achamos que é hora de lançar um olhar sobre a era que vivemos 30 anos atrás”, disse ele. “Foi uma época de repressão sexual, mas, mesmo assim, em que muito dinheiro foi ganho com filmes sobre sexo.”

Kekilli tinha ocultado seu passado no cinema pornô e acabou sendo alvo do escrutínio dos tablóides em função disso. Mas o público alemão não se preocupou e, mesmo assim, aplaudiu sua atuação em “Head-On”.

Em coletiva de imprensa concedida na terça-feira, Dieter Kosslick disse que o festival, que acontecerá entre 10 e 20 de fevereiro, será maior do que nunca, com 343 filmes de 52 países, incluindo 21 que vão competir pelos Ursos de Ouro e de Prata.

O drama “Kinsey”, que fará parte da competição oficial, traz Liam Neeson no papel do pesquisador sexual que, no final dos anos 1940, causou tumulto com seu estudo inovador “O Comportamento Sexual do Homem.”

O público do festival poderá curtir ou criticar “Inside Deep Throat”, sobre o filme “Garganta Profunda”, de 1972, estrelado por Linda Lovelace, que foi visto como chocante e, tendo custado 25 mil dólares para ser feito, teria rendido 600 milhões de dólares.

Realizada durante o período frenético que precede a entrega dos prêmios da Academia de Hollywood, o Festival de Berlim representa uma oportunidade bem-vinda para os estúdios lançarem seus filmes na Europa, ganharem prêmios ou simplesmente obter divulgação benéfica pré-Oscar. Assim, o festival mais uma vez deve receber diversas celebridades.

São aguardados no tapete vermelho de Berlim Will Smith, Kristen Scott Thomas, Keanu Reeves, Kevin Spacey, Daniel Day-Lewis, Dennis Quaid, Don Cheadle, Glenn Close, Joseph Fiennes, Jennifer Jason Leigh, Gerard Depardieu e Catherine Deneuve.

O júri deste ano será presidido por Roland Emmerich.

Apesar do frio intenso, que leva os profissionais a sonhar com Cannes na primavera ou Veneza no final do verão, Berlim abre suas portas com sessões públicas em paralelo à competição, além de vários outros eventos.

Serão vendidos 400 mil ingressos para 1.079 sessões, e os fãs terão que aguardar em longas filas no frio.

O recorde de 500 filmes também serão exibidos no Mercado Europeu de Cinema, uma importante bolsa internacional de compradores e vendedores, tradicionalmente realizada paralelamente com o Festival de Berlim.