Família “malinois” reina no canil da Guarda Municipal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de março de 2012 as 12:56, por: cdb

Família “malinois” reina no canil da Guarda Municipal

27/03/2012 – 15:43

  

Sonia Viana

 

Em pouco tempo membros de uma única família reinarão nos serviços de atendimentos de ocorrências, nas ações ostensivas, no patrulhamento da cidade e nas buscas em geral, seja de entorpecentes ou de pessoas. Não se trata de nepotismo e sim dos cães pastores Lobo e Zara, casal com pedigree pertencente ao canil da Guarda Municipal e que ajudam a trabalhar pela segurança da população de Campinas. Integram a família o casal, quatro filhos e o irmão de Zara.

 

 

Lobo e Zara, pastores belga malinois, com idades respectivas de sete e quatro anos, trouxeram ao mundo, mais diretamente para o canil da Guarda Municipal, há dois anos, nada menos que 10 filhotes. Destes, quatro estão sendo adestrados para fazer parte do efetivo canino na Base Comunitária de Operações-3, em Barão Geraldo, onde está instalado o canil da Guarda Municipal.

 

 

São eles Black, Brena, Nina e Pinta. De acordo com o perfil, cada um está sendo estimulado para assumir funções que correspondam às necessidades do efetivo. Por incrível que pareça, Black, o único macho e fisicamente o maior da “turma” é o mais medroso, manso e receptivo, características que levou o adestrador, Inácio Roberto Biazzi, a treiná-lo para as ações de caça e apresentações em show dog. “Pelo seu grande porte físico, Black responderá de forma mais eficiente em situações que exigem faro rasteiro e venteio, prática de farejar no chão e em locais altos, correspondendo às mais diversas ocorrências”, informa o adestrador.

 

 

De acordo com o adestrador, ainda no ninho, os animais foram estimulados a demonstrarem suas tendências naturais e então recebem treinamentos que valorizam suas habilidades para que correspondam com mais precisão às atribuições do trabalho do dia dia. “Isso não quer dizer que cada um se limita às suas funções, todos os animais são adestrados para as mais diversas ocorrências em qualquer circunstância”, garante o adestrador.

 

 

Já as irmãs de Black, Nina e Brena apresentam comportamento agitado e tendem a ser adestradas para atuar nas operações ostensiva e de ataque. Enquanto que Pinta se parece mais com Black, assim como Black, com temperamento calmo, podendo ser útil nas funções de busca, em demonstrações educacionais e em show dog.

 

 

Segundo o adestrador, as tarefas de um cão policial são variadas dentro do efetivo. São buscas em matas de pessoas perdidas ou foragidas, faro para narcóticos. “Mas só rosnado de um cão bem treinado pode fazer com que muitos criminosos se entreguem ao se sentirem intimidados ou a mera presença do animal pode evitar confrontos físicos em casos de patrulhamento em grandes eventos, afirma Inácio.

 

 

“Quando um conflito começa, os cães são mais rápidos e mais fortes que a maioria dos policiais, sendo capazes de pegar um suspeito fugindo e apertá-los com suas mandíbulas, prendendo-os até que outro oficial chegue. Por tudo isso, os cães acabaram ganhando um lugar definitivo nas forças policiais”, afirma Inácio.

 

 

O chefe de Setor do Canil, Roberti Tadeu Quitério, afirma que os cães da Guarda Municipal de Campinas estão sempre à disposição para atender às ocorrências em conjunto com as corporações do município ou da Região Metropolitana de Campinas para atender às necessidades da população em qualquer circunstância.

 

Nova Geração

 

A família de Lobo e Zara comporá a nova geração de cães adestrados que vão substituir os veteranos que estão em vias de se aposentar. Atualmente dois deles, o golden retriever Samuca, e o hotwailler Hot estão se preparando para deixar a vida ativa na corporação e partir para o descanso merecido. A vida útil de um animal na função é de no máximo nove anos de atividade.

 

 

Segundo o adestrador Inácio Roberto Biazzi, a nova geração vai a campo em ações de trabalho junto com os veteranos em uma espécie de estágio e isso contribui muito no aprendizado dos cães. ”O Samuca e o Hot ainda estão na ativa, mas em alguns meses eles terão seus descansos merecidos, conforme determina portaria 004/2007 que regulamenta a aposentadoria compulsória por idade (10 anos) ou por tempo de serviço (07 anos), segundo o adestrador.

Atualmente o canil da Guarda Municipal conta com um total de 11 cães, sendo dois veteranos, sete da família Belga Malinois, uma filhote de hotwailler e um filhote de pastor belga.

 

Depois de aposentados, os animais podem permanecer no canil ou ser adotados pelos próprios membros da corporação ou qualquer munícipe. Já os que chegam no local são normalmente doados ou reproduzidos no próprio canil.

 

História dos cães policiais

 

A força policial europeia usava sabujos (cães farejadores) já no século XVIII. Apenas na Primeira Guerra Mundial, países como Bélgica e Alemanha formalizaram o processo de treinamento e começaram a usar os cães para tarefas específicas, como ficar de guarda. A prática continuou até a Segunda Guerra Mundial. Os soldados retornavam para casa trazendo notícias de que cães bem treinados estavam sendo usados pelos dois lados do combate.

 

Logo, os programas K-9 foram iniciados em Londres e outras cidades europeias. O uso de cães policiais não ganhou uma base de operações nos Estados Unidos até os anos 70. Atualmente, os cães policiais são reconhecidos como parte vital da força da lei e seu uso tem crescido rapidamente nos últimos anos.