Falta de segurança compromete processo de paz no Afeganistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de novembro de 2003 as 04:18, por: cdb

A falta de segurança compromete o processo de paz no Afeganistão, que com a preparação de eleições entra em ‘sua fase mais crítica’, advertiu na última terça-feira o embaixador alemão junto às Nações Unidas, Gunther Pleuger.

Ao apresentar as conclusões de uma visita de cinco dias realizada ao Afeganistão por uma delegação do Conselho de Segurança da ONU, o diplomata alemão destacou que ‘a insegurança provocada pelas atividades terroristas, os combates entre facções e os crimes ligados ao tráfico de drogas são um problema maior’.

– Com o funcionamento de uma Assembléia Constituinte e a preparação de eleições, o Afeganistão entrou em uma fase ainda mais crítica do processo de paz – destacou Pleuger.

– As condições para um processo político nacional confiável não estão reunidas – advertiu o diplomata, que citou o insuficiente progresso na reconciliação nacional e no desenvolvimento dos partidos políticos, a necessidade de reformas institucionais e a persistência do poder entre os líderes de facções.

Horas antes do início da sessão de hoje no Conselho de Segurança, um atentado com carro-bomba em Kandahar, no sul do Afeganistão, feriu duas pessoas na mesma zona onde funciona a Missão de Assistência da ONU (Unama) no país.

Apesar dos sinais de progresso, o esforço internacional para levantar o Afeganistão está longe de ter sucesso, advertiu Pleuger.

Em seu relatório, o diplomata assinalou que remanescentes da rede terrorista Al-Qaeda e dos talibãs continuam provocando a insegurança no Afeganistão.

– A reconciliação nacional requer um maior esforço, as partes políticas precisam de tempo para o processo, as instituições nacionais devem ser reformadas e o poder dos líderes de facções deve ser reduzido – disse.