Fábio Baiano diz que não fez ‘corpo mole’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 25 de junho de 2003 as 04:00, por: cdb

O apoiador Fábio Baiano e o zagueiro Valdson reagiram de maneira diferente ao afastamento da equipe, imposto pelo treinador Nelsinho Baptista.

O primeiro está fora dos planos por causa da “falta de seqüência” de treinamentos; o segundo, por indisciplina. De acordo com o supervisor Paulo Angione, houve uma “desarmonia” entre os jogadores e o treinador.

– Não sei por que eu não iria querer jogar. Já participei de várias decisões, tenho quase 300 jogos pelo clube e nunca fugi de partida alguma. Tive uma gripe e os médicos acharam melhor que eu ficasse fora da partida contra o Vasco. No dia seguinte, acharam melhor que eu treinasse, porque seria bom que eu suasse. Foi só isso – afirmou Fábio Baiano.

Alegando problemas particulares com sua família, em Aracajú, Valdson pediu para ser liberado até a próxima segunda-feira e foi atendido. O jogador não deu mais explicações.

– Não estou com a cabeça boa e prefiro não atrapalhar o time. Segunda voltarei a treinar normalmente, como foi combinado – declarou.

Com a suspensão de Jônatas pela expulsão contra o Paysandu, Fábio Baiano passou a ser uma opção para o meio-campo para o jogo diante do Figueirense, no sábado. Nelsinho ainda não definiu a escalação da equipe, mas o meia disse estar pronto para voltar ao time.

– Se ele me der uma oportunidade, tentarei fazer o melhor – completou.

Nesta terça, o procurador de Fábio Baiano, Rogério Acosta, procurou Nelsinho mas a conversa entre os dois durou menos de um minuto. O contrato do jogador estipula um aumento de 20% em seus salários a partir de agosto. Fábio Baiano recebe cerca de R$ 60 mil mensais.