Exposição em Londres mostra retratos da mais famosa amante do rei de França

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de outubro de 2002 as 16:46, por: cdb

Madame de Pompadour, a amante de Luis XV, o rei que governou a França pela maior parte do século XVIII, é o tema de uma exposição na National Gallery, em Londres, que será inaugurada nesta sexta-feira. A amante de Luis XV foi uma das mulheres mais poderosas de sua época (1721-1764), além de ser considerada bonita e inteligente.A exposição mostra como Madame de Pompadour contratou os grandes artistas da França para projetar a imagem dela na corte de Luis XV.

Os retrados da exposição enfatizam os papéis que ela desempenhou na corte francesa: primeiro, como amante do rei; depois – quando o sexo acabou – como amiga e confidente do monarca.

A amante

A exposição começa contando como Jeanne-Antoinette Poisson deixou o marido em 1745 para se tornar a amante de Luis XV. Ela se mudou, então, para o Palácio de Versalhes e, em julho daquele ano, recebeu o título de Madame de Pompadour.

“Com esse nome, ela se tornou uma das mulheres mais poderosas da corte, influenciando o rei em assuntos políticos, já que era uma mulher extremamente inteligente”, disse Humphrey Wine, o curador da exposição.

“Madame de Pompadour fazia questão que seus retratos passassem a imagem de uma mulher bela e inteligente e, para isso, contratou os grandes pintores da época.”

Imagens da amante

A maior parte dos retratos da exposição são assinados por François Boucher, o pintor preferido de Madame de Pompadour. Madame de Pompadour morreu aos 42 anos

Entre os vários quadros que ele pintou da amante mais famosa de Luis XV encontra-se um retrato de corpo inteiro onde ela está luxuosamente vestida e um outro em que ela está passando rouge no rosto.

Nesses retratos, e na maioria dos outros da exposição, aparecem livros, partituras musicais, instrumentos musicais e canetas – detalhes que os artistas usavam para chamar a atenção para a inteligência de Madame de Pompadour.

François Boucher era o artista preferido de Pompadour porque pintava rápido, ela sempre saia bonita e com um ar inteligente.

A confidente

O relacionamento sexual de Madame de Pompadour com o rei Luis XV durou cerca de cinco anos. “Depois que o sexo acabou, por volta de 1750, Madame de Pompadour quis assegurar para ela o papel de amiga, de confidente do rei Luis XV”, afirmou Humphrey Wine, o curador.

De Amante à Amiga é o nome de uma das salas da exposição com retratos que enfatizam o novo papel de Madame de Pompadour na corte francesa. É o caso, por exemplo, de um retrato assinado por Carle Vanloo, onde ela aparece segurando um raminho de jasmim – um símbolo tradicional da amizade.

A exposição termina com um retrato de uma outra mulher, Marie-Bécu, a madame de Barry, que ocupou o lugar de Madame de Pompadour quando ela morreu, em 1764, aos 42 anos de idade.