Explosão mata membros de comboio dos Estados Unidos em Gaza

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de outubro de 2003 as 10:41, por: cdb

Quatro pessoas morreram e uma ficou ferida nesta quarta-feira quando um comboio de veículos diplomáticos norte-americanos passou sobre uma mina na Faixa de Gaza. A embaixada dos Estados Unidos assegura que os mortos eram agentes de segurança contratados por uma empresa. A nacionalidade das vítimas ainda não foi confirmada, mas, de acordo com a rede de TV CNN, todos eram norte-americanos. A agência de notícias EFE, entretanto, assegura que um deles era um palestino de Jerusalém oriental que dirigia um dos três jipes atingidos.

A explosão ocorreu quando o comboio passava perto da localidade de Beit Hanun, no norte de Gaza. Um jipe Cherokee usado pelos diplomatas foi completamente destruído pela bomba, que deixou uma grande cratera no solo.

O comboio, composto por três veículos da embaixada dos Estados Unidos, se dirigia a Gaza, onde funcionários norte-americanos iriam entrevistar universitários candidatos à bolsas de estudo em universidades norte-americanas. O comboio incluía representantes do escritório do enviado dos EUA ao Oriente Médio John Wolf e da CIA. Wolf não estava na área no momento do ataque.

O primeiro-ministro palestino, Ahmed Qorei rapidamente condenou o ataque e prometeu investigá-lo. De acordo com ele, um grupo composto por norte-americanos e palestinos vai buscar descobrir o que realmente aconteceu. Fontes palestinas afirmam que o atentado foi um engano, já que o alvo real seria um grupo israelense. O governo de Israel nega esta hipótese afirmando que os terroristas palestinos queriam mesmo atingir os EUA.

Este foi o primeiro ataque contra autoridades dos Estados Unidos na região nos três anos de violência israelo-palestina. Bombas em estradas têm sido frequentemente utilizadas contra soldados israelenses operando em partes da Faixa de Gaza.