Exército israelense cerca casas na Cisjordânia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de janeiro de 2005 as 05:32, por: cdb

Efetivos do exército israelense tinham cercadas, nesta quarta-feira, um número ainda indeterminado de casas na cidade de Tulkarem, no norte da Cisjordânia, para capturar nacionalistas palestinos procurados pelos órgãos de segurança.

Fontes militares indicaram que o objetivo da operação é prender “terroristas procurados”, e confiscar armas e explosivos, sem que por enquanto se informasse de confrontos.

Os soldados israelenses detiveram ontem doze supostos militantes palestinos da resistência contra a ocupação em aldeias dos distritos cisjordanianos de Jenin e de Nablus.

Por outro lado, na Faixa de Gaza, as operações do exército israelense e as das principais facções da resistência palestina se reduziram drasticamente por causa das negociações do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas (Abu Mazen), para acertar um cessar-fogo.

As operações do exército israelense na Cisjordânia coincidem com uma cessação quase total dos ataques palestinos nesse território.

Abu Mazen começou há oito dias negociações com distintas facções da resistência em Gaza para conseguir um fim das hostilidades com Israel.

Por enquanto, tanto as milícias islâmicas do Hamas e da Jihad Islâmica, como a maior parte do movimento Fatah, presidido por Abu Mazen, respeitam o cessar-fogo mesmo que não proclamado de forma oficial pois os milicianos exigem reciprocidade de Israel, isto é, que cessem também suas operações militares, entre outras.

Ontem à noite, segundo fontes militares em Gaza, milicianos palestinos que se opõem ao cessar-fogo -como os das Brigadas de Ahmed Abu Rish- lançaram dois mísseis Al Qassam contra o sul de Israel, mas sem conseqüências, sem que nenhuma facção tenha se responsabilizado pelo ataque.

Os generais Aviv Kojabi, em nome do exército israelense, e o chefe dos serviços de segurança palestinos, general Moussa Arafat, sobrinho do extinto presidente Yasser Arafat, acertaram ontem à noite o desdobramento de efetivos policiais da ANP no sul de Gaza.

No sábado passado, ao redor de 1.000 subordinados de Arafat foram para o norte da Faixa de Gaza para impedir ataques da resistência contra objetivos israelenses, e ontem à noite impediram uma das facções de disparar bombas contra um objetivo israelense, informaram fontes policiais palestinas.