Exército dos EUA faz exercício militar perto do Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 22 de dezembro de 2002 as 00:05, por: cdb

O Exército dos Estados Unidos começou um grande exercício militar no Kuwait, perto da fronteira com o Iraque.

O exercício começou horas depois de as autoridades americanas terem anunciado que 50 mil soldados estão sendo enviados para a região, em uma preparação para uma possível ação contra o presidente iraquiano, Saddam Hussseim.

No Iraque, dez equipes de inspetores de armas da ONU (Organização das Nações Unidas) retomaram os trabalhos neste sábado.

As equipes de inspetores de armas visitaram 12 locais neste sábado, segundo o governo iraquiano.

Mísseis e exercício

Entre eles está uma fábrica de produção de mísseis em Taki, 18 quilômetros ao norte de Bagdá, segundo a agência de notícias AFP.

Os inspetores também visitaram uma companhia farmacêutica em Samarra.

“Esse é o maior exercício de manobras militares desde a Guerra do Golfo”, disse o general-de-brigada Buford Blout à agência de notícias Associated Press.

Segundo a agência, milhares de soldados estão participando do exercício, recebendo o apoio de centenas de veículos blindados e helicópteros.

Tanques também estão participando do exercício, que deve durar dois dias.

Os soldados pintaram em seus rifles slogans como “a caminho de Bagdá” e também escreveram os números dos aviões que foram seqüestrados e usados nos ataques de 11 de setembro.

Jornalistas e equipes de televisão foram convidados a assistirem aos exercícios militares e correspondentes na região afirmam que a medida visa aumentar a pressão sobre governo iraquiano.

Adiamento

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, adiou uma viagem de uma semana que faria à África em janeiro, alimentando especulações de que o governo americano está se preparando para atacar o Iraque.

Um porta-voz da Casa Branca disse que Bush deixará de viajar, em parte, para monitorar a situação do Iraque, mas acrescentou que a medida não deveria ser interpretada como um sinal de que os Estados Unidos estão mais próximos de uma guerra.

Na sexta-feira, depois de um pedido de Hans Blix, chefe das inspeções de armas da ONU para o Iraque, o governo americano afimou que vai repassar informações obtidas por serviços secretos ao inspetores.

Blix dissera à BBC que o governo americano deveria contar aos inspetores onde acha que estão escondidas as armas de cuja posse acusa o Iraque.

Segundo um correspondente da BBC em Washington, o governo americano está preparando imagens feitas por satélites, indentificando mais de cinco locais suspeitos. para entregar imagens aos inspetores de armas.

Blix deve apresentar um relatório completo sobre o trabalho dos inspetores de armas da ONU no dia 27 de janeiro.