Exército de Israel quer derrubar 3 mil casas palestinas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2005 as 20:47, por: cdb

As Forças Armadas de Israel pretendem derrubar 3 mil casas palestinas para construir um fosso de segurança entre a Faixa de Gaza e o Egito e impedir o contrabando de armas para os grupos extremistas palestinos, informou hoje (11) a página na internet do jornal israelense Haaretz. A vala seria aberta ao longo dos 4,5 quilômetros de fronteira entre a cidade palestina de Rafah e o Sinai egípcio. Analistas militares israelenses consideram esse o trecho mais poroso das fronteiras controladas por Israel.

A imprensa israelense informou recentemente a abertura da licitação para a obra, entre um número reduzido de empresas construtoras. O canal, segundo o plano do Exército israelense, terá uma profundidade de dez metros e sensores capazes de detectar a abertura de túneis para o contrabando de armas.

O novo gabinete do primeiro-ministro Ariel Sharon, aprovado na segunda-feira graças, principalmente, ao apoio da esquerda, enfrenta amanhã seu primeiro grande teste na Knesset (Parlamento), quando tentará aprovar o orçamento. Fontes próximas a Sharon asseguraram que ele convocará eleições antecipadas, caso não consiga aprovar o projeto que enviou à Knesset.

Os problemas de Sharon no Legislativo se intensificaram na segunda-feira quando 13 membros de seu próprio partido, o Likud, se rebelaram e votaram contra a formação da nova coalizão. No total, o Likud controla 66 das 120 cadeiras do Parlamento.

Sob a liderança do ex-ministro Uzi Landau, os deputados do Likud se rebelaram contra Sharon por causa de seu plano de remover todos os assentamentos judaicos da Faixa de Gaza e quatro da Cisjordânia.

O novo gabinete israelense é formado por 14 ministro do Likud e 7 do Partido Trabalhista, ao qual pertence também o novo vice-primeiro-ministro Shimon Peres.