Ex-PM preso após roubar e tentar matar investigador

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 25 de janeiro de 2005 as 21:24, por: cdb

O ex-soldado Geraldo Pereira dos Santos, 30 anos – expulso da Polícia Militar em dezembro de 2004 – foi preso em flagrante na madrugada desta terça-feira, acusado de roubo, resistência à prisão e de tentar matar o investigador Richard Magarian, 26 anos, do Grupo de Operações Especiais (GOE), e o porteiro Rogério Araújo dos Santos, que tentavam prendê-lo.

O segurança particular Carlos Roberto Gonçalves, apontado como comparsa do ex-PM, também foi preso. Ele foi autuado em flagrante depois que policiais encontraram na casa noturna onde ele trabalhava a mochila do policial civil com os objetos roubados.

Armado com um revólver calibre 38, o ex-PM roubou celulares e relógios de pessoas paradas num carrinho de cachorro-quente da Avenida Brigadeiro Faria Lima, na região da Vila Olímpia, Zona Sul.

Uma das testemunhas – a estudante J.B.L – que presenciou o assalto, contou a Rogério, porteiro do bar mais próximo, e passou as características do ladrão. O porteiro e o investigador Magarian saíram em busca do assaltante.

No semáforo da Faria Lima com a Rua Ministro Jesuíno Cardoso, localizaram o homem em uma moto Teneré, mochila e capacete semelhantes aos descritos pelas vítimas. O porteiro Rogério tirou o homem da motocicleta e lutou com ele.

Num momento de descuido, o ladrão sacou o revólver e começou a atirar. Primeiro acertou um tiro na barriga de Magarian, o investigador do GOE, depois disparou contra a cabeça de Rogério.

Mesmo ferido, o investigador do GOE conseguiu sacar sua pistola 45 e alvejar a perna do assaltante, que fugiu a pé, abandonando a moto no local.

Por um radiocomunicador, o ex-PM pediu ajuda ao comparsa o segurança Carlos Roberto Gonçalves, que o levou com seu Fiat Uno até o Hospital Edmundo Vasconcelos (Gastroclínica), na região de Moema. Na madrugada, a polícia chegou a divulgar que Gonçalves também seria policial militar, informação negada pela Secretaria de Segurança Pública.

Após deixar o ex-PM no hospital, o segurança voltou ao restaurante para guardar o carro no estacionamento. Policiais do GOE socorreram o colega Mangarian e Rogério, e começaram a procurar por um homem baleado nos hospitais da região até achá-lo no Hospital Gastroclínica. Quando Gonçalves retornou ao hospital, foi abordado pelos policiais. Ele confirmou que socorreu o assaltante. Ele foi autuado em flagrante pelos mesmos crimes do ex-PM depois que os policiais foram até o restaurante e acharam na sala da segurança a mochila suja de sangue, com seis celulares, cartões bancários e relógios roubados. O ex-PM foi reconhecido pelas vítima. O porteiro e o investigador passaram por cirurgia, ontem. O porteiro foi operado para extração da bala que ficou alojada na nuca e o investigador, para reparar os danos no abdome. Ele corria o risco de perder o baço.