Ex-oficiais são condenados por massacre de Srebrenica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de janeiro de 2005 as 16:35, por: cdb

Dois ex-oficiais sérvio-bósnios foram condenados e presos por terem participado do massacre de Srebenica, em 1995.

Vidoje Blagojevic foi considerado culpado de “cumplicidade em genocídio” e condenado a 18 anos de prisão pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia.

Dragan Jokic foi condenado pelo mesmo tribunal, em Haia, por cooperação em assassinato e perseguição. Ele recebeu uma pena de nove anos de detenção.

Mais de 7 mil muçulmanos morreram no enclave bósnio de Srebrenica ao fim da guerra, que durou de 1992 a 1995.

Atrocidade

Esta é considerada a pior atrocidade na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

O tribunal afirma, no sumário do julgamento:

– Os crimes horríveis cometidos em seguida à queda de Srebrenica são bem conhecidos.

– Esses crimes foram cometidos em pouco mais de uma semana, com um nível de brutalidade e perversão não visto antes no conflito na Iugoslávia, e estão entre os dias mais sombrios na história moderna da Europa.

Blagojevic e Jokic negaram as acusações.

Jokic era o chefe dos engenheiros na brigada Zvornik do exército sérvio bósnio que tomou parte do massacre.

Blagojevic comandou a brigada Bratunac do exército sérvio-bósnio. Ele estava subordinado ao general sérvio-bósnio Radislav Krstic, que em abril do ano passado se tornou a primeira pessoa a ser considerada culpada de cumplicidade em genocídio pelo tribunal.

O tribunal de apelação condenou Kristic a 35 anos de prisão por ter comandado o massacre de Srebrenica.

O tribunal já tinha confirmado que as mortes em Srebrenica constituem legalmente genocídio.
Seis homens acusados de participação no massacre ainda estão foragidos, incluindo o ex-general Ratko Mladic e o líder político Radovan Karadzic.