Ex-moradores voltam ao Pinheirinho para buscar pertences

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 as 19:18, por: cdb

Daniel Mello
Enviado Especial
 

São José dos Campos (SP) – Ex-moradores da ocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos, reviravam os escombros das casas demolidas hoje (26) em busca de pertences. A Polícia Militar concluiu ontem (25) a ordem de reintegração de posse do terreno ocupado há mais de sete anos por 1,3 mil famílias.

Terezinha Galvão, de 51 anos de idade, consegui recuperar, com a ajuda dos filhos, algumas coisas que restaram da casa. A cama e o tanquinho, que não puderam ser retirados antes da chegada dos tratores, estavam completamente destruídos. “Essa foi a primeira rua que derrubaram, não quiseram nem saber”, disse a diarista, que está alojada na residência de uma irmã.

De algumas moradias não foi possível recuperar nada. Aurinilde de Souza catava apenas o material que podia vender como produto reciclável. Mãe de quatro filhos, ela disse que conseguiu férias no restaurante onde trabalha para poder cuidar da mudança. Mas não conseguiu um caminhão que levasse toda a mobília. E agora, enfrenta dificuldades para encontrar um novo lugar para morar. “Fala que é do Pinheirinho e ninguém quer alugar casa para a gente”, desabafou a mulher que está morando em um dos abrigos da prefeitura.

Um dos focos de incêndio consumiu o que restou da mobília do pipoqueiro Zito Rodrigues. Ele disse que que como só era permitida uma viagem de mudança, ficaram para trás cama, sofá e geladeira. “Só consegui tirar uns carrinhos de pipoca e uma máquina de algodão doce”, declarou.

Rosana Gonçalves voltou ao terreno só para olhar o que restou de sua casa, onde morava com o marido e o filho. “A vida da gente acaba”. O objetivo dela, a partir de agora, é conseguir alguma reparação do Poder Público. “Vai ser cansativo, mas vou ficar em cima deles”, disse.

O governo do estado de São Paulo e a prefeitura de São José dos Campos (SP) assinaram hoje (26) um convênio para o pagamento de uma bolsa aluguel de R$ 500 por mês para as famílias que ocupavam o Pinheirinho. Até o momento, a prefeitura cadastrou 1,1 mil famílias.

Além da bolsa, o governo do estado anunciou, em parceria com a prefeitura e com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano, a construção imediata de 1,1 mil moradias sociais em São José dos Campos.

 

Edição: Aécio Amado

Comments are closed.