Ex-ditador da Tunísia recebe nova condenação por assassinatos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 13 de junho de 2012 as 09:14, por: cdb

Mais de um ano após a queda do ditador da Tunísia Zine al-Abidine Ben Ali, uma corte militar do país o condenou à revelia a 20 anos de prisão, nesta quarta-feira (13), por “incitação à desordem, assassinatos e saques em território tunisiano”.

Ben Ali, que fugiu em janeiro de 2011 para a Arábia Saudita enquanto protestos tomaram conta da Tunísia, já foi condenado a 66 anos de prisão, também à revelia, sob acusações que variam de corrupção à tortura, além de enfrentar outras acusações.

O caso relativo à condenação mais recente envolve a morte de quatro manifestantes, baleados pela polícia na cidade costeira de Wardanein enquanto tentavam evitar que o sobrinho de Ben Ali, Qais — que agora está preso na Tunísia — fugisse no dia 15 de janeiro de 2011, um dia depois de o presidente deixar o país.

Diversos assessores de Ben Ali também receberam condenações de 5 a 10 anos de prisão, afirmou a agência oficial de notícias TAP. A justiça determinou o pagamento de indenizações às famílias das vítimas de entre 150 mil e 300 mil dinares (75 mil e 100 mil euros).

No mês passado, um promotor do Exército da Tunísia exigiu que a pena de morte fosse imposta ao ditador por sua atuação no assassinato de centenas de manifestantes nas cidades do país onde a Primavera Árabe começou no ano passado. Há, porém, poucas indicações de que o governo saudita esteja disposto a extraditar Ben Ali.

O governo da Tunísia enfrenta persistentes críticas por causa se seu fracasso em persuadir a Arábia Saudita a entregar Ben Ali e sua esposa Leila Trabelsi, uma ex-cabeleireira cujo estilo de vida luxuoso passou a ser visto pelos tunisianos como símbolo de uma era corrupta.

Fonte: Opera Mundi

 

..