Evo Morales visita Caracas para se unir à ‘luta antiimperialista’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 3 de janeiro de 2006 as 17:55, por: cdb

O presidente eleito da Bolívia, Evo Morales, desembarcou nesta terça-feira em Caracas, oriundo de Cuba, para um encontro com o presidente venezuelano Hugo Chávez. Morales afirmou que seu país está se incorporando “à luta antineoliberal e antiimperialista” e disse estar decidido a “lutar pelos pobres e pelos povos indígenas”. Ele será o primeiro presidente boliviano de origem indígena.

O presidente eleito boliviano foi recebido por Chávez e pelo chanceler Alí Rodríguez às 9h50 locais (10h50 de Brasília) no aeroporto internacional Simón Bolívar. Evo Morales chegou ao país acompanhado por seu assessor econômico Carlos Villegas e por seu porta-voz, o jornalista Alex Contreras.

No aeroporto, recebeu honras de Estado e foi cumprimentado pelos ministros venezuelanos e funcionários do governo.  Ao chegar ao país, Morales disse a jornalistas que “são novos tempos (para a América Latina)”. “Estamos em novas épocas, em um novo milênio para os povos e não para o império, um novo milênio para resolver problemas sociais e econômicos das maiorias nacionais”, disse.

– Este movimento não só é na Bolívia. Fidel (Castro) em Cuba e Hugo (Chávez) na Venezuela continuam somando vitórias aos projetos sociais dos partidos políticos de esquerda que pensam nas maiorias – afirmou.

Por sua vez, o presidente Hugo Chávez ironizou críticas de que seu país forme um “eixo do mal” com Bolívia e Cuba, como já assinalaram funcionários do governo norte-americano. “O eixo do mal é Washington e seus aliados no mundo, que ameaçam, invadem e assassinam. Nós estamos formando o eixo do bem”, enfatizou.

Chávez informou que conversará com Morales sobre o plano de governo do Movimento ao Socialismo (MAS), liderado do dirigente indígena boliviano. Esta é a primeira visita oficial de Morales à Venezuela como presidente eleito da Bolívia, desde que ganhou as eleições de 18 de dezembro.

Segundo o Ministério de Comunicação venezuelano, Morales e Chávez farão uma oferenda de flores local onde estão os restos do libertador Simón Bolívar e do cacique venezuelano Guaicaipuro, no Panteão Nacional. Depois, irão ao palácio presidencial de Miraflores, no centro da capital, para ter uma reunião privada. Em seguida, darão uma coletiva de imprensa conjunta.

Os presidentes também devem assinar um acordo para desenvolver um programa de identificação em setores rurais da Bolívia. No último final de semana, Morales visitou Fidel Castro, em Cuba, seu primeiro destino internacional como presidente eleito. Lá, firmou um convênio de cooperação nas áreas de saúde, educação e esportes. Inicialmente, será criada uma unidade de médicos oftalmologistas cubanos e bolivianos para atendimento da população carente do país andino. Cuba também emprestará equipamentos para exames.

Depois de visitar Caracas, Morales viaja à Espanha, onde se reunirá com o chefe de Governo, José Luis Rodríguez Zapatero, na primeira escala de sua viagem à Europa, África do Sul, China e Brasil. Morales toma posse no dia 22 de janeiro.