EUA se dizem prontos para conversar com a Coréia do Norte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 13 de janeiro de 2003 as 19:09, por: cdb

Os Estados Unidos estão prontos para conversar com a Coréia do Norte e dispostos a discutir possíveis formas de resolver a crise de energia do país, uma vez que este abandone o desenvolvimento de armas nucleares. A afirmação foi feita hoje pelo enviado norte-americano à região, o secretário de Estado assistente James Kelly.

Falando em Seul, capital da Coréia do Sul, Kelly disse que “poderá haver oportunidades de ajuda dos Estados Unidos, de investidores privados e de outros países para a Coréia do Norte na área de energia” quando a questão das armas nucleares for resolvida. “Nós estamos dispostos a conversar”, afirmou.

A declaração, que parece ser uma modesta oferta para reduzir as atuais tensões, foi feita após Kelly manter um encontro com o presidente eleito da Coréia do Sul, Roh Moo-hyun. O enviado norte-americano está na Coréia do Sul para dois dias de discussões visando a coordenar os esforços para resolver a crise sobre o programa nuclear norte-coreano.

Essa é a primeira visita de Kelly à região desde outubro de 2002, quando afirmou que autoridades norte-coreanas teriam admitido possuir um programa secreto para a produção de urânio enriquecido, o que possibilitaria a produção de armas nucleares. A Coréia do Norte nega ter feito essa admissão e acusa Washington de distorcer seus comentários sobre o que afirma ser um programa nuclear para fins pacíficos.

A missão de Kelly acontece após Bill Richardson, ex-embaixador dos EUA nas Nações Unidas durante a gestão do presidente Bill Clinton e atual governador do estado norte-americano do Novo México, ter mantido conversações com representantes da Coréia do Norte, com a aprovação do Governo Bush.