EUA são acusados de plantar grampos na UE em escritórios da Alemanha e França

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de março de 2003 as 14:05, por: cdb

Equipamentos de escuta clandestina foram encontrados nos escritórios usados pelas delegações da França e da Alemanha na sede da União Européia, em Bruxelas. Fontes oficiais afirmam que os “grampos” foram encontrados também em escritórios usados por outras delegações. O jornal francês Le Figaro, o primeiro a divulgar a informação, atribuiu a responsabilidade pelo grampo aos Estados Unidos.

Um porta-voz da UE, Dominique-Georges Marro, disse que o incidente está sendo investigado, mas que até o momento não é possível dizer que são de fato os responsáveis.

Alta tensão

Líderes da União Européia vão participar de uma reunião de cúpula no edifício na quinta-feira e na sexta-feira.

A descoberta do grampo, em uma vistoria de rotina, acontece em um momento em que estão elevadas as tensões no interior do bloco, dividido entre países que apóiam ou se opõem a uma ação militar liderada pelos Estados Unidos contra o Iraque.

As relações da França e da Alemanha com os americanos têm sido especialmente afetadas pela polêmica.

Agentes dos países que sofreram o grampo estão realizando investigações junto com a segurança do edifício Justus Lipsius, que sedia encontro regulares de ministros da União Européia.

Nesse prédio fica o Conselho de Ministros da União Européia, além dos escritórios do comissário de política externa do bloco, Javier Solana.