EUA renova suspensão de embargo imposto ao Paquistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de março de 2003 as 08:52, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assinou um memorando em que renova o alívio das sanções impostas ao Paquistão após o golpe que levou o general Pervez Musharraf ao poder, em 1999.

A medida permitirá ao Paquistão receber centenas de milhões de dólares em ajuda econômica de Washington.

No memorando, encaminhado ao Departamento de Estado, Bush diz que o alívio das sanções facilitará a transição para a democracia no Paquistão, sendo importante também para os esforços norte-americanos destinados a “responder, deter ou evitar atos de terrorismo internacional”.

A Casa Branca anunciou, ainda, que Bush receberá em Washington, no próximo dia 28, o primeiro-ministro do Paquistão, Mir Zafarullah Khan Jamali.

Em um comunicado por escrito, o porta-voz do governo norte-americano, Ari Fleischer, informou que Bush e Jamali discutirão “questões bilaterais, regionais e internacionais, assim como a cooperação estreita entre os Estados Unidos e o Paquistão na guerra contra o terror”.

O Paquistão permaneceu sob sanções que impediam a ajuda militar e econômica dos Estados Unidos desde o golpe militar aplicado em 1999 por Musharraf.

Entretanto, após os atentados de 11 de setembro de 2001, quando Musharraf aliou-se aos Estados Unidos na guerra contra o terrorismo e na campanha para expulsar o regime Talibã do governo do vizinho Afeganistão, Bush revogou as sanções.

No mês seguinte, o Congresso norte-americano suspendeu o restante do embargo, que proibia qualquer ajuda externa ao Paquistão.

O anúncio de Bush acontece em uma semana crucial para os desdobramentos da crise no Golfo Pérsico.

O Paquistão é um dos seis países do Conselho de Segurança das Nações Unidas que ainda não decidiram se apóiam ou não a resolução que autoriza o uso da força como meio de desarmar o Iraque.