EUA querem votação de nova resolução até quinta-feira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de março de 2003 as 17:47, por: cdb

Os Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira que a proposta de nova resolução para o Iraque deve ser votada pelo Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) até o fim da semana, mais provavelmente na quinta-feira.

O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, disse que o ultimato a Saddam Hussein “não deve ser prolongado”.

“Se o Iraque quer se comprometer com as resoluções da ONU, que ele faça agora. Essa é a opinião do presidente George W. Bush”, disse Fleischer.

Enquanto isso, um grupo de seis países membros do conselho, ainda indecisos sobre a questão iraquiana, apresentaram uma proposta que adia em 45 dias o prazo para Badgá se desarmar.

Indecisão

A proposta foi apresentada por Angola, Chile, Guiné, México, Paquistão e Camarões ao embaixador britânico na ONU, Jeremy Greenstock.

Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha queriam que a proposta de resolução fosse votada nesta terça-feira.

Mas, frente a uma derrota quase certa, os dois países decidiram adiar a votação para investir em diplomacia.

A França e a Rússia, outros integrantes do conselho, já anunciaram que vetarão a proposta de nova resolução e pedem que as inspeções no Iraque continuem.

A China continua declarando que não concorda com uma ação militar no Iraque.

Com a oposição dos três países, mais os seis indecisos, os nove votos (de um total de 15) necessários para que a resolução fosse “moralmente” aprovada ficariam comprometidos.

Os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a Espanha, que apresentaram a proposta de nova resolução, querem que o Iraque se desarme até o dia 17 de março.

Nesta terça-feira, a ONU confirmou que o Iraque interrompeu a sua fabricação de mísseis Al-Samoud II e destruiu 55 mísseis em um período de 10 dias.