EUA querem soldados do Talebã mortos ou presos em Kunduz

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de novembro de 2001 as 22:25, por: cdb

Os Estados Unidos alertaram que os milhares de soldados do Talebã que estão cercados na cidade afegã de Kunduz só tem uma opção: se render.

Um porta-voz dos Estados Unidos no Paquistão, Kenton Keith, disse que há cerca de 12 mil soldados do Talebã em Kunduz, entre eles alguns dos melhores combatentes, junto com outros 3 mil voluntários estrangeiros.

A Aliança do Norte está tentando negociar um acordo para que o Talebã entregue suas armas. Eles deram três dias para que o Talebã se renda e ameaçam atacar depois desse prazo.

A aliança diz que uma anistia seria aplicada somente aos afegãos. O governo americano também deixou claro que quer ver os combatentes estrangeiros presos ou mortos.

Estrangeiros

A Aliança do Norte diz que os soldados estrangeiros leais a Osama Bin Laden – a maioria deles árabes, chechenos e paquistaneses – estão impedindo que o Talebã deixe Kunduz.

0 comandante da aliança na região, general Daoud, disse que os soldados estrageiros tinham matado mais de 450 soldados do Talebã que estavam pensando em se entregar, incluindo um comandante.

O general Abdul Rashid Dostum, disse em Mazar-e-Sharif à agência Reuters que iria se encontrar nesta segunda-feira com dois comandantes do Talebã em Kunduz para discutir os termos da rendição.

Ele disse que o plano é conceder anistia aos soldados do Talebã, mas não aos estrangeiros.

“Nós vamos tratar com os estrangeiros de acordo com as leis internacionais e convenções de direitos humanos”, afirmou.

O correspondente da BBC Rupert Wingfield-Hayes, que está em Kundz, disse que os refugiados estão deixando continuamente a cidade, que vem sendo atacada há vários dias por bombardeiros americanos B-52.

Refugiados que conseguiram sair da cidade em segurança contam que as tropas do Talebã dentro de Kunduz estão impedindo que mais civis deixem a cidade.

O ministro do Interior da Aliança do Norte, Younis Qanooni, disse à agência de notícias AFP que alguns soldados cercados em Kunduz pediram a criação de um corredor de segurança em direção aos Emirados Árabes Unidos e a Kandahar, no sul do Afeganistão.

Presos ou mortos

Mas o secretário de Defesa americano, Donald Rumsfeld, disse que quer os soldados presos ou mortos.

Ele disse que os Estados Unidos fariam o que fosse possível para evitar que essas pessoas deixem o Afeganistão para ir a outro país onde poderiam se engajar em novos ataques terroristas contra os Estados Unidos.

Rumsfeld também disse que não vai permitir que o líder do Talebã, mulá Mohammad Omar, que estaria em Kandahar, deixe o Afeganistão.

O governo americano está oferecendo uma recompensa de US$ 25 milhões pela captura de Osama Bin Laden. A oferta é anunciada nas rádias afegãs e em folhetos jogados de aviões que sobrevoam o país.