EUA permanecerão no Iraque após pleito de domingo, diz Bush

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 29 de janeiro de 2005 as 14:54, por: cdb

Sob pressão para começar a retirar tropas norte-americanas do Iraque após a eleição de domingo, o presidente dos EUA, George W. Bush, declarou no sábado que a missão do país precisa continuar para ajudar o novo governo a se situar.

– À medida que a democracia se estabelece no Iraque, a missão da América lá vai continuar – afirmou Bush em seu programa semanal de rádio.

– Nossas forças militares, diplomatas e funcionários civis ajudarão o recém-eleito governo do Iraque a estabelecer a segurança e a treinar a polícia militar iraquiana e outras forças.

O presidente sofre crescente pressão doméstica para mostrar sinais de progresso no Iraque. O número de vítimas norte-americanas no país passou de 1.400, e membros do Congresso parecem cada vez mais preocupados com os custos humanos e financeiros da missão.

Bush tem resistido em divulgar um cronograma de saída das tropas norte-americanas do Iraque, mas em uma entrevista coletiva na quarta-feira pareceu sugerir que até o final do ano a tarefa de treinar e equipar as forças iraquianas para se proteger poderia estar completa.

O objetivo inicial de Bush no Iraque era encontrar armas de destruição em massa, mas depois que nenhuma apareceu, ele declarou que a ênfase da missão era avançar com a democracia no país.

O presidente ressaltou que no último ano eleições bem-sucedidas aconteceram no Afeganistão, na Malásia, na Indonésia, na Geórgia, na Ucrânia e nos territórios palestinos.

– A eleição de amanhã (no Iraque) vai se juntar ao momento da democracia – disse ele.