EUA não vão tolerar armas nucleares no Irã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de junho de 2003 as 09:47, por: cdb

O presidente americano, George W. Bush, afirmou que a comunidade internacional não vai aceitar o desenvolvimento de armas nucleares no Irã.

– A comunidade internacional precisa se unir para deixar claro ao Irã que não vamos tolerar a construção de armas nucleares. O Irã seria perigoso se tivesse uma arma nuclear – disse.

Bush também manifestou apoio aos oponentes do regime islâmico iraniano que têm organizado protestos para pedir reformas no país.

– Eles precisam saber que os Estados Unidos permanecem com sinceridade ao lado deles e eu pediria ao governo iraniano que os trate com o máximo respeito – afirmou.

Acusações

Um pouco antes, em um encontro da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena, o representante americano, Kenneth Brill, acusou o Irã de seguidas violações do Tratado de Não-Proliferação Nuclear.

Brill pediu que o governo iraniano concorde incondicionalmente com as restrições internacionais às suas instalações nucleares.

O representante americano também perguntou por que – se as intenções do país são pacíficas – as autoridades iranianas não estão concordando com as exigências dos Estados Unidos.

Na segunda-feira, o Irã anunciou que não iria aceitar inspeções mais rigorosas em suas instalações nucleares e fez um protesto formal contra o que chamou de interferência dos Estados Unidos em seus assuntos internos.

Protocolo

Os representantes americanos pediram à agência da ONU a adoção de sanções contra o Irã.

Os Estados Unidos querem ainda que as autoridades iranianas assinem um protocolo que permita inspeções sem aviso prévio de qualquer instalação nuclear, declarada ou não, dentro do Irã.

O Irã nega que esteja agindo de maneira errada e diz que seu programa nuclear produz apenas energia, e não armas.

Alguns países europeus querem até que as negociações comerciais com o Irã, iniciadas no ano passado, sejam interrompidas, diante das negativas do país em aceitar as inspeções.

Outros países dizem acreditar que a União Européia deve manter as portas abertas para o diálogo, como uma forma de obter maior transparência em assuntos nucleares, progresso nas reformas políticas e respeito aos direitos humanos no Irã.

O Irã afirma que não vai dialogar sobre seu programa nuclear até que sejam suspensas as restrições de acesso à tecnologia impostas ao país.