EUA enviam seis caças invisíveis ao radar à Coréia do Norte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de março de 2003 as 19:51, por: cdb

Os EUA enviarão seis caça-bombardeiros F-117, invisíveis ao radar, à Coréia do Sul para participar de exercícios militares conjuntos com forças de Seul, informaram nesta terça-feira, fontes do Pentágono.

Os exercícios foram qualificados como “de rotina” e sem relação com a crescente tensão na península coreana desde que em outubro a Coréia do Norte reconheceu que havia reativado seu programa nuclear.

No entanto, na semana passada, os EUA enviaram 24 bombardeiros de longo alcance (12 B-1 e 12 B-52) à ilha de Guam, no Pacífico ocidental, a 3.300 quilômetros da Coréia do Norte.

O Pentágono qualificou o destacamento dos bombardeiros como uma medida “prudente” para dissuadir Pyongyang de uma eventual ação bélica, enquanto as forças dos EUA estão ocupadas no Iraque.

Os F-117, com uma equipe de apoio de 100 soldados, permanecerão na base aérea de Kunsan, na Coréia do Sul, até 2 de abril, quando terminarão os exercícios militares.

A fuselagem dos caças tem um desenho bastante anguloso e inclui materiais especiais que desviam os sinais dos radares.

O destacamento dos aviões na Coréia do Sul ocorre em um momento de grande tensão na península.

Esta semana, a Coréia do Norte fez um lançamento experimental de um míssil de médio alcance.

Além disso, na segunda-feira passada os EUA se queixaram oficialmente a Pyongyang de um incidente ocorrido há duas semanas no qual quatro caças Mig norte-coreanos interceptaram um avião de reconhecimento RC-135 dos EUA que, segundo o Departamento de Defesa, se encontrava no espaço aéreo internacional.

Este incidente foi o mais grave desde que em agosto de 1969 um avião norte-coreano derrubou outro aparelho similar americano e causou a morte de seus 31 ocupantes.