EUA criticam europeus por falhas na integração de muçulmanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de abril de 2006 as 11:35, por: cdb

O governo dos EUA acusa os europeus de estarem falhando na integração de imigrantes muçulmanos. Segundo o responsável pela Europa no Departamento de Estado norte-americano, Daniel Fried, a maioria dos países europeus trata os descendentes de imigrantes muçulmanos como se ainda fossem estrangeiros, criando um terreno fértil para o extremismo.

– A deficiente integração dos muçulmanos na Europa é um perigo também para a segurança dos Estados Unidos. Na Europa, os muçulmanos lutam contra o desemprego e a discriminação. Isso criou um ‘público’ aberto a mensagens extremistas – disse Fried, nesta sexta-feira.

Ele acrescentou que, além disso, extremistas muçulmanos aproveitam a liberdade de imprensa em muitos países para transmitir sua mensagem. Junto com uma “percepção profundamente negativa” da política externa norte-americana, isso resulta numa “mistura especialmente perigosa”. Mas só uma pequena parcela ultrapassa a barreira do terrorismo, explicou.

Fried lembrou que os ataques de 11 de setembro de 2001 aos EUA em grande parte foram planejados na Alemanha.

– Cinco anos depois e, apesar de muitos avanços no combate ao terrorismo, o extremismo violento na Europa continua sendo um perigo para a segurança nacional dos EUA e seus aliados – advertiu.

O ministro alemão do Interior, Wolfgang Schäubler, disse que os pais são os principais responsáveis pela educação e a integração dos filhos que nasceram na Alemanha.
– O Estado não pode integrar os filhos contra a vontade dos pais – disse.

Schäubler também defendeu a aplicação de sanções contra pais que se negam a cumprir suas obrigações referentes à integração dos filhos.

– Quem não quer que seus filhos vivam como alemães cometeu um erro ao vir para a Alemanha – disse. O governo alemão planeja um encontro de cúpula para discutir soluções para o problema.