EUA confirmam a morte de 10 soldados nas últimas 24 horas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de outubro de 2006 as 12:53, por: cdb

O Exército dos Estados Unidos divulgou, nesta quarta-feira, que 10 de seus soldados foram mortos no Iraque nas últimas 24 horas, elevando o número de baixas americanas em outubro para quase 70 – o maior número de vítimas fatais do Exército em um mês registrado em cerca de dois anos. Quatro militares morreram quando uma bomba explodiu na beira de uma estrada no momento em que o veículo em que viajavam trafegava nas proximidades da capital iraquiana Bagdá.

Três soldados foram mortos na província de Diyala, localizada ao norte de Bagdá, e outros três foram mortos em ataques separados. Comandantes dizem que os soldados americanos estão mais expostos a ataques neste momento por causa da intensificação das operações para conter a violência sectária em Bagdá e outras províncias.

Violência

Com a média de três americanos mortos por dia, este mês registra o maior número de vítimas fatais contabilizadas pelo Exército dos Estados Unidos desde janeiro de 2005. O aumento agudo do número de mortes reforça em Washington e no Iraque a possibilidade de adoção de uma nova estratégia para combater a falta de segurança no país. Na terça-feira, pelo menos dois comandantes especiais da polícia iraquiana foram deslocados de suas unidades em meio a alegações de que esquadrões da morte xiitas seriam responsáveis pelo assassinato sitemático de muçulmanos sunitas.

Autoridades do Ministério do Interior minimizaram as razões das transferências em público, mas o discurso privado era outro: elas seriam resultado de pressões americanas e sunitas. Existem inúmeras alegações de que policiais iraquianos estão envolvidos nos assassinatos sectários realizados pelos esquadrões e milícias ilegais.