ETA assume atentado que matou dois em Madri

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 9 de janeiro de 2007 as 16:16, por: cdb

O grupo separatista basco ETA admitiu formalmente nesta terça-feira que foi responsável pelo ataque a bomba que matou duas pessoas no aeroporto internacional de Barajas, em Madri, há dez dias.

No mesmo anúncio, enviado ao jornal pró-independência basca Gara, o ETA disse que o “cessar-fogo permanente”, anunciado em março do ano passado, continua em vigor.

– O ETA afirma que o cessar-fogo permanente iniciado em 24 de março de 2006 ainda está de pé. O grupo assume responsabilidade pelo ataque em Barajas -, afirma o jornal Gara.

– O objetivo deste ataque não era causar vítimas -, afirma ainda o jornal, atribuindo a declaração ao ETA.

Em resposta, o ministro do Interior, Alfredo Perez Rubalcaba, disse que não vê como o processo de paz pode ser retomado. Depois do ataque do dia 30 de dezembro, Rubalcaba anunciou que o diálogo com o ETA havia sido encerrado.

O ETA disse que deu um aviso prévio sobre o ataque e criticou o fato de o local não ter sido evacuado. O anúncio do grupo basco foi feito depois que dois militantes foram presos na França.

É a primeira vez em três anos que mortes são atribuídas ao ETA. O grupo luta pela independência de uma região do norte da Espanha e sudoeste da França.