Estudo identifica 72 rotas de prostituição na Amazônia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de outubro de 2003 as 21:56, por: cdb

O Centro de Defesa da Criança e do Adolescente divulgou nesta terça-feira o resultado de um estudo que identificou 72 rotas de prostituição na Amazônia.

Neste relatório, que será entregue a representantes da ONU no mês que vem, 12 casos foram analisados. Conforme os pesquisadores, os criminosos estão certos da impunidade.

De acordo com a Polícia Federal, as jovens que se prostituem nas ruas de Belém, por exemplo, quando completam a maioridade, são aliciadas por uma rede de internacional de prostituição. Primeiramente, elas são levadas para o Suriname e depois vão para a Holanda.

Essas mesmas jovens foram várias vezes recolhidas por agentes do Juizado da Infância e Juventude, mas acabam voltando para a prostituição.

De acordo com a polícia, um dos principais envolvidos nesta rede de prostituição é o empresário Henri Kunat, que ficou dois anos preso e desde a semana passada está em liberdade condicional. Segundo as investigações da polícia, ele chefiava uma rede de prostituição.