Estado e municípios em alerta contra o sarampo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 13:47, por: cdb

02/03/2012 – 16:43Estado e municípios em alerta contra o sarampo

Esta semana, em Belém, profissionais de saúde dos principais municípios do Pará participaram de treinamento para doenças exantemáticas, ou seja, infecciosas próprias da infância e que provocam a erupção de pontos ou manchas e outras lesões na pele, como o sarampo e rubéola. O sarampo, que não apresenta casos autóctones no Brasil há cerca de 10 anos, pôs em alerta a saúde pública do Pará em consequência do fluxo turístico.

No ano de 2010, dois casos de sarampo, em adultos, foram confirmados no Estado. Os indivíduos viajaram para um congresso fora do Pará, onde se encontraram com pessoas de diversos países e contraíram a doença. Um caso de suspeita de sarampo está em investigação no Estado.

O indivíduo, um menino de nove anos, atendido em uma unidade de saúde pública foi diagnosticado com alergia. Como a medicação não funcionou, a avó da criança, que já vivenciou casos de sarampo, desconfiou que fosse a doença.

A situação chamou a atenção das autoridades, que em breve darão resposta à investigação. Sarampo é uma doença de origem viral, que após um período de incubação de cerca de dez dias, manifesta-se através de febre e rinoconjuntivite, que provoca a congestão ocular e sinais e sintomas catarrais. Em seguida, evidencia-se uma erupção cutânea formada por pequenas manchas vermelhas, que se inicia na face e por trás das orelhas, para se irradiar ao longo de dois ou três dias ao tronco e aos membros.

A erupção desaparece na mesma ordem em que surgiu, à medida que os restantes sinais e sintomas vão desaparecendo. Embora a doença tenha uma evolução geralmente benigna, pode originar certas complicações.