Estado contrata 5 mil professores para reduzir caos da educação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de março de 2007 as 10:21, por: cdb

A grave situação nas escolas estaduais do Rio deverá ser amenizada com a contratação, nas próximas semanas, de 5 mil professores. A medida emergencial para tentar suprir a carência da rede foi anunciada pelo secretário de Educação, Nelson Maculan, em audiência pública na Comissão de Educação da Assembléia Legislativa (Alerj). Maculan assumiu a culpa pelo caos no início do ano letivo e estipulou que o levantamento do déficit de profissionais esteja concluído até terça-feira. Segundo o secretário, 14.325 professores estão afastados de suas funções.

O quadro é mais preocupante nas turmas de 1ª a 4ª séries, pois não há professores no banco de concursados. A última seleção foi realizada em 2001 e não tem mais validade.

– Por isso, vamos contratar temporariamente 400 professores, em regime de urgência e sem concurso público, para atuar no Ensino Básico – afirmou o secretário. A ordem de classificação da seleção de 2001 será respeitada na convocação. O estado também avalia a possibilidade de abertura de concurso público para serventes, vigilantes e merendeiras.

Dos 2 mil concursados convocados, 1.700 já assumiram as turmas de 5ª a 8ª séries do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, e 300 estão apresentando documentação. Outros dois mil serão convocados para o banco de horas extras, a chamada GLP, que atualmente é feita por 12 mil professores. – São aposentados ou na ativa que estejam disponíveis para cumprir carga horária maior – explicou ele.

As péssimas condições de prédios também foram questionadas pelos deputados. Além das 36 unidades em reforma, mais 74 escolas receberão obras emergenciais. De acordo com Maculan, os recursos já foram liberados. Alunos do Liceu Nilo Peçanha, em Niterói, serão deslocados para prédios próximos à unidade até que as obras sejam concluídas.

Promessa de mais recursos 

Após a audiência do secretário Nelson Maculan, as comissões de Direitos Humanos, Segurança Pública, Orçamento e Economia da Assembléia Legislativa garantiram mais verba para a Educação no Orçamento de 2008. O deputado Paulo Ramos (PDT) sugeriu que seja retomada a proposta de recuperação da educação integral pelos Cieps. A alocação de recursos também vai priorizar saúde e segurança.

Do lado de fora do Palácio Tiradentes, mais de 300 pessoas, entre pais, alunos e professores, se reuniram à espera de soluções para a crise. – Tenho dois filhos no Ciep Irineu José Ferreira, em Campo Grande, que estão há um mês em casa – reclamou a dona-de-casa Edna Santos, 41 anos. Alunos foram transferidos para o Instituto de Educação Sarah Kubitschek e, segundo a secretaria, novo prédio já foi providenciado. A escola foi despejada por falta de pagamento do aluguel. Segundo o Sepe, mais 6 escolas de Campo Grande estão na mesma situação.