Espanha registra novos 110 mil desempregados em fevereiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 09:00, por: cdb

A Espanha registrou 112.269 novos desempregados em fevereiro, elevando o número total em 2,44% na comparação com janeiro, informou nesta sexta-feira (02) o Ministério de Emprego e Seguridade Social. Em termos anuais, ou seja, entre fevereiro de 2010 com o último mês, houve um incremento de 9,6%, ou 412.835 pessoas.
Segundo estes dados, que refletem o número de desempregados inscritos nas repartições públicas de emprego, o total de pessoas sem trabalho na Espanha chega a 4.712.098.

No entanto, de acordo com a última Enquete de População Ativa, publicada no final de janeiro, o total de desempregados na Espanha ultrapassou a barreira histórica de cinco milhões de desempregados (5.273.600), o que leva o índice de desemprego a 22,85%. Ela é realizada pelo INE (Instituto Nacional de Estatística), que tiliza uma metodologia diferente.

Em fevereiro, o desemprego subiu em todos os setores e registrou 59.230 novos pessoas sem trabalho no setor de serviços (2,16% mais); 15.656 na construção (1,98%); 11.219 na agricultura (7,37%) e 10.269 na indústria (1,96%).

Entre as pessoas com menos de 25 anos, fevereiro teve 24.885 novos desempregados (5,22% a mais), enquanto aumentou em 14.559 entre os estrangeiros (2,27%), elevando o total deste coletivo a 655.587.

O aumento do número de desempregos “justifica que o governo da Espanha aprove um reforma trabalhista completa e equilibrada”, afirmou a secretária de Estado de Emprego, Engracia Hidalgo, em um comunicado oficial.

Deficit público

O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, anunciou ainda nesta sexta (02) que o objetivo de déficit público deste ano chegará a 5,8%, contra 4,4% que estava previsto.

Em entrevista coletiva, após participar do Conselho Europeu em Bruxelas, Rajoy afirmou que este número não descumpre o Pacto de Estabilidade e Crescimento da União Europeia, já que “a intenção é alcançar 3% em 2013”, como estabelece o pacto.

Segundo ele, a cúpula não debateu de maneira oficial uma flexibilização do déficit para a Espanha em 2012, fixado em 4,4%, um objetivo que exigiria um corte de 40 bilhões de euros.

Fonte: Opera Mundi e agências

 

..