Espaços culturais são opções diferenciadas de lazer em Salvador

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de março de 2012 as 12:18, por: cdb

Nem apenas de praias e grandes shows é feita a programaçãode lazer e cultura de Salvador. A capital baiana conta também com exposições,atividades literárias e apresentações musicais, com ritmos diferenciados. Aagenda tem o apoio da Prefeitura do Salvador, através da Fundação Gregório deMattos (FGM), e é boa opção para famílias baianas e turistas, que têm aoportunidade de levar um pouco mais que o bronzeado e as batidas da axé musicna bagagem.

 

Alémda qualidade, a programação apresenta outra vantagem: é gratuita. Entre as alternativasestão museus, bibliotecas e outros espaços, onde se apresentam artistas baianose manifestações locais. “Esses espaços estimulam a vocação cultural deSalvador, servindo como ponto de encontro para a produção e consumo das artes,sempre valorizando artistas locais”, explica a presidente da FGM, Isa MariaSilva.

 

Aideia é facilitar o acesso a uma programação cultural de qualidade e gratuita.”Queremos tornar a arte acessível, tanto ao público soteropolitano quanto aosturistas que visitam a cidade. O nosso objetivo é enriquecer a nossaprogramação cultural e oferecer uma agenda diferenciada, onde pessoas de todasas idades possam se encontrar e descobrir novas possibilidades”, acrescenta.

 

Umbom exemplo é o projeto Santo de Casa, da cantora Mariene de Castro, queencerrou, no início do mês, mais uma temporada de sucesso no Espaço Cultural daBarroquinha, um dos locais administrados pela FGM. A proposta, criada há seteanos, dá visibilidade a pequenos grupos culturais da Bahia, como Terno de Reisda Eterna Juventude, Barquinha de Santo Amaro e Ganhadeiras de Itapuã, os chamados”santos da casa”, que se revezam na parceria com Mariene, idealizadora doprojeto.

 

Museu da Cidade – Comvasta programação cultural, o Museu da Cidade oferece exposições, palestras,contação de histórias e encontro com artistas. Este mês, a agenda do espaçoestá voltada para a comemoração dos 463 anos de Salvador. Com essa temática, amostra “Um Olhar sobre Salvador”, onde diferentes artistas plásticos do CentroHistórico expõem telas sobre a capital baiana, acontece na Sala de ExposiçãoTemporária do Museu, até o dia 30 de março.

 

NoSalão do Museu, às 10h do dia 30,a arte-educadora Petinha Barreto contará histórias sobreas lendas de Iemanjá e Oxóssi, para alunos de escolas da rede municipal. Já nodia 29, às 10h, na Sala de Exposição Temporária, o mestre Bule-Bule apresenta oseu Cordel Viva Salvador a estudantes da rede municipal de ensino. Já no mês deabril, a programação inclui a exposição Indígena-afro-Brasil, que ocorre entreos dias 4 e 30, das 9 às 17h, na Sala de Exposição Temporária.

 

Casa do Benin – Na Casado Benin ocorre a aula-espetáculo Samba de Roda, das 15 às 17h, comapresentação de grupos de samba de roda da capital e interior do Estado, noquiosque do local. Já de 29 de março a 30 de abril, o destaque é a exposição dejóias. A mostra traz jóias com temática africana, criadas e confeccionadas peladesigner Nádia Taguary.

 

Exposiçõesocorrem também no Espaço Cultural da Barroquinha que, de 10 a 13 de abril, apresentaráa mostra Acervos do Arquivo Histórico Municipal de Salvador, composta por documentostextuais, iconográficos e cartográficos da cidade.